python — ler a linha do arquivo sem incluir "\ n" no final

[TI/Linguistas] Quero traduzir a PGP Word List por alguma lista em português que tenha fonética clara

Galera do TI e de línguas, estou tentando resolver um probleminha meio estranho, mas quem ler tudo já ganha uma estrelinha de boa pessoa, vou tentar fazer um nlnl mas não prometo nada, até por que resolvi escrever do celular como um louco, mas vamos lá:
Tem esse app que foi escrito em Python uns dois anos atrás chamado Magic Wormhole (http://github.com/warnemagic-wormhole). Ele é um programinha de linha de comando onde você consegue enviar arquivos entre duas máquinas em qualquer lugar com internet. Primeiro você executa o send do arquivo.
$> wormhole send arquivo.txt
E ele responde com um número e duas palavras (ou mais, se quiser). Se for 2-guitar-nevada a outra pessoa digita o receive.
$> wormhole receive 2-guitar-nevada
E pronto, ele transfere o arquivo entre as duas máquinas diretamente com criptografia PAKE. A única outra máquina que entra na equação é um rendezvous server público, responsável por guardar as palavras e responder com os IPs da transação (o server não guarda o arquivo nem uma lista de IPs). Cada transação acontece uma vez só e rola de forma bem segura, apesar de algumas considerações de segurança que o criador já fala na documentação (Man in the middle, DOS e tal).
Tudo lindo, só preciso mandar um código pra pessoa que vai receber esse arquivo. Aí mora um pequeno problema para nós brasileiros (e qualquer outro que não seja fluente em inglês): essas palavras são pares dentro de uma lista de palavras do PGP (https://en.wikipedia.org/wiki/PGP_word_list) e foram arquitetadas para serem simples de transmitir por áudio (ou seja, falando mesmo) pois não são foneticamente semelhantes entre si... Se você fala inglês.
O que eu quero é expandir essa lista para outras línguas, a começar pelo português, com o objetivo de criar um frontend web (ou um app de desktop, sei lá) para transferir arquivos pensando no usuário médio nacional. A ideia é que você entraria num site/aplicativo e podia ou mandar um link de uso único ou deixar o recipiente digitar o código ditando. Claro, muito mais fácil falar do que fazer.
Minha primeira tentativa foi usar aqueles alfabetos fonéticos que os militares usam em rádio (Alfa, Bravo, Romeu, Zulu), mas obviamente fico limitado aos poucos caracteres e preciso de 510 palavras, 255 com duas sílabas e 255 com três, que sejam razoavelmente comuns na língua portuguesa e cuja pronúncia não seja muito semelhante (casa e caso, mamão e mão, etc)
Até encontrei um app chamado what3words que usa combinações de 3 palavras (em várias línguas, incluindo português) pra nomear setores dentro de um mapa do mundo que seria perfeito... Se eu pudesse extrair as palavras que ele usa, mas é proprietário e acho que não serve ao propósito.
Enfim, galerinha do mal, qual a opinião de vocês? Alguém me dá um norte pra resolver esse problema e contribuir com um projeto maneiro? Acham que só traduzir cada palavra seria suficiente pra começar? A ideia é o código ser aberto no fim das contas e montar um rendezvous server mantido por doações ou propaganda ética no futuro webapp (que não deve ser absurdamente caro, aliás, já que não vai ter tráfego de arquivos).

NemLiNemLerei

Quero criar um webapp para envio de arquivos em cima de uma aplicação existente mas gostaria que alguém me ajudasse a montar uma lista de 510 palavras em português pra facilitar a comunicação entre as pessoas usando ele.
PS: Aliás, já devo começar a construir o webapp por esses dias, mas realmente não queria manter apenas as palavras em inglês pois derrota o propósito do próprio aplicativo.
PPS: quem estiver num Ubuntu ou outro Linux com snaps, pode instalar o snap dele snap install wormhole e testar rapidinho.
PPPS: o Brian Warner que criou o app tá fazendo uma nova versão em Rust(pois é, trabalha na Mozilla), mas nessa eu não vou mexer por que se não nunca faço nada.
submitted by jackmcmorrow to brasil [link] [comments]

Fiódor Dostoiévski - " Um paradoxalista "

“Narremos algumas palavras a respeito da guerra e seus rumores. Conheço um homem que é um paradoxalista. Eu o conheço há muito tempo. Trata-se de uma pessoa obscura possuída por um estranho caráter: nosso paradoxalista é um sonhador. Em algum lugar de minha obra voltarei a falar sobre ele mais detidamente. Mas agora quero rememorar como, há alguns anos, nós discutimos a respeito da guerra. Ele defendeu a guerra em termos gerais e talvez o tenha feito apenas pelo amor ao paradoxo. Afirmo-lhes que nosso paradoxalista é um verdadeiro cidadão; a pessoa mais pacífica e afável que se poderia conhecer na Terra e também em São Petersburgo.
– É algo ultrajante – o paradoxalista começa – dizer que a guerra é o tumor da humanidade. Pelo contrário, trata-se do artifício mais útil. Há apenas um tipo de guerra odioso e verdadeiramente pernicioso: a guerra civil e fratricida. Ela paralisa e obscurece o Estado; ela se prolonga em demasia; ela brutaliza o povo a não mais poder. Mas uma guerra política e internacional apresenta benefícios em todos os aspectos, e por isso ela é absolutamente essencial.
– Espere um momento: uma nação aniquila a outra, e os povos se dispõem à matança mútua – o que há de essencial nisso?
– Tudo é essencial, e no sentido mais elevado. Mas em primeiro lugar, é uma mentira dizer que os povos se dispõem à matança mútua; a chacina nunca domina o imaginário do povo. Pelo contrário, os povos se dispõem a sacrificar as próprias vidas; eis o que domina seu imaginário. E esta é uma questão completamente outra. Não há ideal mais elevado do que o sacrifício da própria vida pela defesa dos irmãos e da pátria. A humanidade não pode viver sem ideais nobres, e chego mesmo a suspeitar que a humanidade ama a guerra precisamente por ela fazer parte de algum nobre ideal. Trata-se de uma necessidade humana.
– Mas será que a humanidade realmente ama a guerra?!
– Claro que ama. Quem se sente deprimido em tempos de guerra? Muito pelo contrário: todos e cada um ficam instigados, os espíritos se elevam, não se notam a apatia e o tédio ordinariamente presentes em tempos de paz. E então, quando a guerra termina, os povos amam relembrá-la, ainda que tenham sido derrotados! Não acredite naqueles que, durante a guerra, meneiam a cabeça e dizem uns aos outros: ‘Que calamidade, a que ponto chegamos’. Estão sendo educados, eis tudo. Na verdade, todos e cada um são tomados por um ânimo festivo. Sabe, há idéias que não se aceitam facilmente. Você será apupado como uma besta-fera e será excomungado e condenado como um reacionário; todos temem tais idéias. Ninguém ousa aclamar a guerra.
– Mas você está falando de nobres ideais e de humanização. Não pode haver nobres ideais sem a guerra? Pelo contrário: em tempos de paz, há muito mais terreno para que nobres ideais floresçam.
– Não, não, não, aí é que você se engana. A nobreza perece durante um longo período de paz, e em seu lugar aparecem o cinismo, a indiferença, o tédio e, sobretudo, um malicioso hábito de escárnio – e tudo isso quase como um ocioso passatempo, sem nenhum objetivo sério. Afirmo categoricamente que um longo período de paz endurece o coração do povo. Durante o interminável período de paz, a balança social sempre pende para o lado do que é estúpido e grosseiro na humanidade, principalmente em direção à riqueza e ao capital. Imediatamente após uma guerra, a honra, a filantropia e o auto-sacrifício são respeitados, valorizados e altamente resguardados; quanto mais a paz se estende, mais tais valores nobres e belos se tornam pálidos e insípidos, até que desapareçam, enquanto todos e cada um estão obsedados pela riqueza e pelo espírito da aquisição. Ao fim e ao cabo, só resta a hipocrisia – a hipocrisia da honra, do auto-sacrifício e do dever; tais coisas continuarão a ser respeitadas, a despeito de todo o cinismo, mas apenas retoricamente, através de belas palavras. Não haverá honra genuína, apenas as máximas vazias permanecerão. Quando a honra se torna uma máxima, ela morre. Uma paz prolongada produz apatia, ideais medíocres, depravação e um arrefecimento das paixões. Os prazeres não se mostram refinados e se tornam mais e mais envilecidos. A riqueza crua não se regozija com a nobreza, já que demanda prazeres imediatos e rasteiros, i.e., a satisfação mais direta dos clamores da carne. Os prazeres se tornam carnívoros. A sensualidade evoca a luxúria, e a luxúria é sempre cruel. Você não pode negar tudo isso, porque não há como negar o fato principal: durante uma paz prolongada, a balança social pende para a riqueza crua ao fim e ao cabo.
– Mas e quanto à ciência e às artes – será que elas podem florescer durante os tempos de guerra? E aqui estamos diante de nobres e grandiosos ideais.
– Ah, mas eis a jogada que me faz dizer a você: xeque-mate! A ciência e as artes florescem sobretudo no imediato pós-guerra. A guerra as renova; a guerra estimula e fortalece o pensamento e lhe dá ímpeto. Mas uma paz interminável arrefecerá até mesmo a ciência. Não há dúvida de que a busca da ciência demanda uma certa nobreza, até mesmo a abnegação. Mas poderiam muitos desses cientistas sobreviver à pestilência da paz? A falsa honra, o amor-próprio e a sensualidade os apanharão também. Tente lidar com um sentimento como a inveja, por exemplo; a inveja é crua e vulgar, mas ela também se inoculará no nobre coração de um cientista. Ele também quererá tomar assento em meio ao glamour e à prosperidade generalizada. Comparado ao triunfo da riqueza, que pode significar o triunfo de alguns cientistas, a menos que se trate de algo sensacional como a descoberta do planeta Netuno, por exemplo? Agora me diga: haverá muitos remanescentes para a devoção verdadeira à humilde causa? Pelo contrário, haverá o desejo pela fama, e então o charlatanismo invadirá a ciência; haverá a busca pelo sensacionalismo, e o utilitarismo pairará soberano, porque haverá um desejo incontrolável pela riqueza. O mesmo sucederá à arte: a mesma busca por sensacionalismo. Idéias simples, claras, nobres e valorosas não estarão em moda: algo muito mais terra-a-terra será demandado; simulacros de paixões estarão na ordem do dia. Pouco a pouco, o senso de medida e harmonia se perderá; paixões e sentimentos sórdidos virão à tona – eis o sentido da elevação dos sentimentos que, na verdade, só levam à vulgarização. A arte inevitavelmente sucumbirá ao fim de uma paz prolongada. Se a guerra nunca houvesse existido em nosso planeta, a arte teria sido totalmente extinta. Todas as grandes idéias artísticas são providas pela guerra e pela luta. Pense na tragédia, olhe para as estátuas: aqui está o Horácio de Cornélio; lá está o Apolo de Belvedere sobrepujando um monstro...
– E quanto às madonas, e quanto à cristandade?
– A própria cristandade admite o fato das guerras e das profecias que dizem que a espada não virá até o Juízo Final: eis algo verdadeiramente notável. Ah, não há dúvida de que a cristandade, em termos elevados e morais, rejeita a guerra e prega o amor mútuo. Eu mesmo serei o primeiro a me unir ao júbilo quando as espadas forem relegadas aos charcos. Mas a questão é: quando isso irá acontecer? E seria útil relegar as espadas aos charcos na atualidade? A paz atual será sempre e em todo os lugares pior do que a guerra, a ponto de ser imoral apoiar a paz. Não há nada que a torne digna de ser valorizada e preservada; é vulgar e vergonhoso preservar a paz. A riqueza e a vulgaridade dão à luz a indolência, e a indolência faz nascer escravos. A fim de manter os escravos em estado servil, é preciso eliminar o livre arbítrio e a oportunidade de evolução, já que não se pode abrir mão da necessidade de escravos, ainda que se trate do cidadão mais humano entre todos. Eu também noto que, durante um período de paz, a covardia e a desonestidade criam raízes. Por natureza, o homem está terrivelmente inclinado à covardia e aos atos vergonhosos – todos e cada um de nós sabemos muito bem disso. Talvez seja por isso que o homem ama tanto a guerra: entrevemos uma cura através da guerra. A guerra expande o amor mútuo e une as nações.
– Ei, espere um pouco: como é que a guerra une as nações, meu Deus?!
– A guerra as obriga ao respeito mútuo. A guerra renova os povos. O amor ao próximo chega ao ápice no campo de batalha. Realmente, é estranho que a guerra faça menos para despertar o ódio do povo do que a paz. De fato, algo que poderia ser considerado uma revolta política em tempos de paz, algum tratado que demandava muito, quiçá uma pressão política, uma requisição arrogantemente expressa – do tipo a que a Rússia foi submetida pela Europa em 1863 –, todas essas coisas despertam o ódio do povo de modo muito mais encarniçado e aberto do que em tempos de guerra. Pensemos ainda uma vez: nós, russos, odiamos os franceses e os ingleses durante a campanha da Criméia? Não, nem um pouco; na verdade, parecíamos nos aproximar cada vez mais deles, quase como se eles tivessem se tornado nossa própria família. Estávamos interessados em ouvir as visões deles sobre a nossa coragem no campo de batalha; nós tratamos os prisioneiros de guerra com enorme generosidade; em tempos de trégua, nossos soldados e oficiais deixaram as posições avançadas e quase abraçaram o inimigo; chegamos a beber vodka juntos. A Rússia se encantou ao ler sobre isso nos jornais, e ainda assim isso não nos impediu de travar uma luta magnífica. Um espírito de cavalheirismo se estabeleceu. E eu nem mesmo trarei à tona as perdas materiais da guerra: todos e cada um conhecem a lei segundo a qual as coisas parecem renascer com um vigor renovado no período pós-guerra. As forças econômicas da nação são estimuladas dez vezes mais do que antes, como se uma nuvem tempestuosa encharcasse a terra com uma chuva torrencial. Todos e cada um, de uma só vez, dão uma mão àqueles que sofreram durante a guerra, enquanto em tempos de paz províncias inteiras morrem de fome antes de nos levantarmos para fazer algo, antes de doarmos alguns míseros rublos.
– Mas o povo não sofre mais do que qualquer outro estrato da população durante a guerra? Quem é que sofre a ruína e suporta as feridas e cicatrizes inevitáveis: o povo ou os nascidos em berço de ouro?
– Talvez você tenha razão a este respeito, mas apenas temporariamente. Ainda assim, o povo ganha muito mais do que perde. É especificamente para o povo que a guerra traz as mais belas e sublimes conseqüências. Diga o que quiser: você pode ser a pessoa mais humana, mas ainda assim você se considerará acima do populacho. Nos dias de hoje, quem é que equipara as almas de acordo com o padrão de Cristo? O padrão é o dinheiro, o poder e a força, e o povo massificado sabe muito bem disso. Não se trata propriamente de inveja; há um certo sentimento opressivo de desigualdade moral que é extremamente doloroso para as pessoas comuns suportarem. Você pode libertá-las ao máximo e escrever e estatuir as leis que escolher, mas a desigualdade não pode ser sustada na sociedade atual. O único remédio é a guerra. A guerra é apenas um paliativo instantâneo, mas ela dá conforto ao povo. A guerra aumenta o moral do povo e o seu senso de amor-próprio e dignidade. A guerra torna todos e cada um iguais durante as batalhas e reconcilia o senhor e o escravo na manifestação mais sublime de dignidade humana – o sacrifício da vida pela causa comum, por todos e cada um, pela pátria. Você acha que as massas, mesmo a massa mais embrutecida de camponeses e mendigos, não sentem a premência de uma demonstração ativa de sentimentos nobres? E como é que a massa pode demonstrar sua nobreza e dignidade humana nos tempos de paz? Nós observamos nobres atos isolados em meio ao povo, mal condescendendo em notá-los, algumas vezes com um sorriso cético, noutras simplesmente não acreditando no que acabamos de ver. E quando nós efetivamente reconhecemos o heroísmo de algum indivíduo isolado, nós fazemos um tal estardalhaço como se se tratasse de algo completamente inusitado; o resultado é que nosso assombro e nosso elogio reverberam o desdém. Tudo isso desaparece em tempos de guerra, quando há a completa igualdade no heroísmo. O sangue aspergido se torna sagrado. Uma nobre proeza compartilhada cria os mais sólidos vínculos entre as classes díspares. O proprietário e o camponês estiveram mais próximos no campo de batalha em 1812 do que na província pacífica de onde vieram. A guerra dá às massas um sentido de auto-respeito, e é por isso que o povo ama a guerra: ele compõe canções sobre ela, e por muitos anos o povo se mostra sedento por estórias e lendas sobre a guerra. O sangue aspergido se torna sagrado! Diga o que quiser, mas a guerra em nossa época é necessária; sem ela o mundo teria entrado em colapso ou, no mínimo, o mundo teria sido transformado em uma espécie de charco lodoso fervilhante pela putrefação...
Eu desisti da discussão, obviamente. Não há sentido em discutir com sonhadores. No entanto, há um fato muito estranho: as pessoas começam a discutir questões que pareciam resolvidas há muito e estavam supostamente destinadas aos arquivos. Tais questões estão sendo exumadas ainda uma vez. E o mais importante é que isso está acontecendo em toda parte”.
submitted by fabio561 to Filosofia [link] [comments]

Preciso de ajuda envolvendo um arquivo

Meu amigo recebeu esse arquivo via bluetooth enquanto jogava Mobile Legends, o arquivo estava com o nome de Zelda e nós dois gostamos de The Legend of Zelda e como ele achou que devia ser algum jogo aceitou receber o arquivo, quando terminou de baixar o nome do arquivo deixou de se chamar Zelda e passou a ser esses números, ele preocupado me mandou mensagem perguntando se ele devia abrir, eu pedi o arquivo e depois eu o enviei um emulador de Nintendo 64, por algum motivo o arquivo quando rodado abria o jogo do Majoras Mask, aí você pensa que era uma rom desse jogo mas, ele carregava exatamente onde a gente tinha parado de jogar o jogo, aí eu pensei que devia ser um conflito de arquivos e fui ver o que era .enc e o que eu li sobre não tinha nada a ver com rom de jogos então eu decidi achar algum leitor de .enc mas parece que não existe um que leia este arquivo, já tentei quase todos que os sites recomendavam só falta um que serve para ler partituras nesse formato mas o resto de que tentei nada, eu até pedi para ele apagar a rom em seu celular e abrir o arquivo no emulador novamente mas nada acontece agora, no celular dele dá para ver o nome do aparelho que enviou ou o site de qual baixou e embaixo do arquivo estava 56633 o mesmo nome do arquivo, não sabemos quem enviou (exatamente a pessoa), não sabemos como se abre e por isso eu vim aqui para ver se alguém pode mexer ou nos dizer como mexer nesse arquivo, deixarei o link para ele aqui.
submitted by Robert_Kerlon to u/Robert_Kerlon [link] [comments]

Explique "Grande Conspiração Nortenha" (out/2019) - Sem sinal de ASOIAF (ago/1990)

Hoje eu quero iniciar o formato que acredito ser o ideal para analisar os arquivos do So Spake Martin (SSM) de Westeros.org.
Eu tentarei analisar os SSMs mais antigos em ordem cronológica e os mais recentes de forma retroativa, até que ambas as pontas um dia se encontrem no meio. Daí em diante, eu passaria a apenas a analisar os mais recentes.
---------------------------------
Mais recente: Entrevista à WGN Radio (04/10/2019)
Link no arquivo: https://www.westeros.org/Citadel/SSM/Entry/16162
Martin foi entrevistado por telefone por uma rádio de Chicago antes da sua visita na cidade (que deve estar ocorrendo enquanto falamos).
Os apresentadores começam falando sobre a carreira de Martin na ficção científica, comentam a dificuldades de interação com leitores hoje em dia e, por fim, perguntam como é ter Westeros noite e dia consigo durante a escrita.
Martin fala diz que quando a escrita está correndo bem, ele fica pensando em Westeros o dia todo, mas o momento em que as idéias mais lhe ocorrem é quando esta indo dormir. Que fica pensando na cena que vai escrever na manhã seguinte ou na semana seguinte e que os personagens tomam vida e ele chega a ouvir partes de diálogos.
Depois as perguntas se concentraram em Game Of Thrones. Martin disse que o alívio porque o show acabou é apenas parcial, em razão de agora não se martiriza tanto pensando que está atrasado em relação à HBO.
Quando um dos apresentadores critica os roteiros dos episódios da 5ª temporada em diante (especialmente em relação à última temporada), Martin responde bruscamente. Diz que ele vai terminar o próximo livro e que aí poderão ler a versão dele da história. Martin também não avança muito quando é perguntado sobre Bloodmoon (série sucessora de GoT sobre a Era dos Heróis, sob a responsabilidade de Jane Goldman), apenas frisa que a série é de autoria de Jane Goldman.
No final da entrevista, o apresentador fala que seus filhos falaram tanto sobre a "Grande Conspiração Nortenha" (uma teoria de fã que devo cobrir no futuro) que ele sabia que só teria paz quando pedisse para GRRM explica-la. Martin ri e diz que não comenta teorias de fãs, pois diz que há muitas por aí, e umas são verdade, outras não.
O programa é encerrado com os apresentadores falando mal da escrita de Dan & David e tirando sarro de Martin por ter sido brusco na resposta sobre o final de Game of Thrones.
------------------------------------------
Mais Antigo: Entrevista ao site Eidelon (01/04/1990)
Link: https://www.westeros.org/Citadel/SSM/Entry/1431
Nesta entrevista, vemos Martin responde perguntas sobre sua carreira na Ficção Científica e Horror, seu envolvimento com Hollywood (e o quão hesitante ele estava em voltar a trabalha lá depois de The Beauty and the Beast) e ele fala dos planos para o futuro.
O que é interessante sobre esta entrevista é que ela aconteceu antes que Martin começasse a escrever ASOIAF (em 1991) e vemos Martin avaliando um futuro que não incluía as Crônicas de Gelo e Fogo.
Confira abaixo a entrevista traduzida na íntegra:

E: Por que você começou a escrever?
GM: Bem, eu não acho que tenha decidido conscientemente me sentar um dia e dizer "Nossa, eu vou começar a escrever". De certo modo, eu sempre escrevi. Mesmo antes de poder escrever, eu sempre pensei em histórias e inventei histórias. Mesmo quando eu era criança e brincava, inventava personagens, brincava com tramas, brincava com histórias, contava histórias para as outras crianças. Portanto, não tenho certeza de que algo a que se chega depois de certa deliberação, é apenas algo que, pelo menos comigo, parecia automático; algo que eu nasci com.
Comecei a enviar minhas histórias e a publicá-las primeiro a nível de fã: nos tempos de escola durante a adolescência, eu era ativo no fandom de quadrinhos, que naquela época estava apenas começando nos Estados Unidos. Eu era um fã ativo de quadrinhos. Então publiquei em vários fanzines de quadrinhos e, finalmente, quando estava na faculdade, fiz minha primeira venda profissional.
E: Você é mais conhecido por escrever contos de ficção, e eu sei que escrever contos de ficção não compensa tanto quanto escrever romances. Por que você ainda escreve contos de ficção?
GM: Bem, às vezes eu só tenho uma história para contar que não tem o suficiente para ser um romance, e eu prefiro fazer um bom conto ou uma boa novela do que escrever um romance ruim e grande.
Na verdade, à medida que minha carreira progredia, minhas histórias tendiam a ficar cada vez mais longas. Quero dizer, acho que se você realmente olhar para a minha bibliografia, bem no início da minha carreira, escrevi principalmente pequenos contos. Faz vários anos desde que pude produzir um conto real e genuíno. Ou seja, algo curto [risos]. Embora eu escreva coisas com comprimento menor do que uma novela: venho fazendo muitas novelas e noveletas nos últimos anos.
E: Ainda é difícil vender novelas? Há uma maravilhosa história de horror em um dos livros de Stephen King sobre o quão difícil é vender novelas. Você acha isso?
GM: Não é difícil para mim vender novelas de ficção científica. Stephen King tem um nome gigantesco, é claro, mas mesmo ele está em uma posição um pouco estranha, pois é um escritor de terror; não há mercado para contos de terror, pelo menos não nos Estados Unidos. Existem algumas revistas semi-profissionais; ocasionalmente, a Revista de Fantasia e Ficção Científica publicará alguns, mas para as novelas de ficção científica ainda há um mercado bastante ativo, e foi uma novela, "Uma Canção para Lya", que virou uma das minhas principais histórias inovadoras no início de minha carreira. Ganhei meu primeiro prêmio Hugo, aqui na Austrália, na verdade; na Aussiecon One.
E: Você escreve muito horror hoje em dia. Por que? Pois só lhe vem histórias de horror ou porque acabou a graça da ficção científica?
GM: Bem, eu não diria isso. Eu gosto de fazer coisas diferentes. Há muitos tipos diferentes de histórias que quero contar. . . ficção científica, fantasia, horror, até mesmo algumas convencionais. Adorei histórias de horror quando jovem. Eu li muitas delas. Mas, por um tempo, a graça delas meio que acabou. Depois de ler tudo o que HP Lovecraft havia feito, na colégio, e ter experimentado alguns outros, realmente não consegui encontrar nenhum escritor de terror de que gostei. Eles não pareciam mais capazes de me assustar. Então eu meio que me afastei disso e, quando comecei a vender profissionalmente nos anos 70, eu estava lendo e escrevendo exclusivamente ficção científica. Mas acho que Stephen King produziu um genuíno renascimento do horror. Eu li e gostei de King. Muitas pessoas vieram no rastro dele, que eram imitadores e não eram tão bons, mas acho que ele provou que a ficção de terror ainda era viável. Eu tenho minha própria abordagem na ficção de horror, é claro. Eu não acho que isso se encaixa perfeitamente na categoria Stephen King. Há um parâmetro, o que eu chamaria de sensibilidade de "ficção científica", até mesmo para a minha ficção de terror.
E: Isso é extremamente lógico, extremamente bem explicado. . .
GM: Sim, há uma parte de mim que é muito Campbelliana em vez de Lovecraftiana, que acredita que realmente está dentro da capacidade da mente humana de compreender tudo, e meus protagonistas não são levados à loucura, como muitos de Lovecraft foram, por horrores grandes e incompreensíveis demais para eles imaginarem.
E: O que você acha do horror "moderno", da tradição do splatterpunk e do fato de os filmes estarem ficando cada vez mais violentos e cada vez mais bobos?
GM: Essa é uma pergunta muito ampla. Fiz parte de alguns painéis que falar sobre isso por algumas horas.
Certos aspectos disso me preocupam, na verdade. Permita-me aqui esclarecer que não sou a favor de nenhum tipo de censura; Eu sou bastante anti-censura. Eu sou o mais extremo que se pode ser sobre toda a questão da liberdade de expressão. Mas, no entanto, como leitor, lendo algumas dessas coisas, me perguntam o que eles querem dizem sobre a sociedade e a cultura norte-americanas, e me pergunto o que essa tendência significa, pois o horror se torna cada vez mais explícito e o foco muda, como tantas vezes acontece, para fazer do monstro o herói ao invés de vilão de grande parte de filmes de terror...
E: Eu lembro da frase em "The Skin Trade", em que um personagem atribui um assassinato a "alguém que já viu muitos filmes de Halloween e sexta-feira 13 ".
GM: Sim. Eu assisti a alguns desses filmes em que não apenas o que está na tela é perturbador, mas o comportamento de certos membros da platéia é muito assustador.
E: O que você está escrevendo agora? O que podemos esperar ver em um futuro próximo?
GM: Bem, no momento não estou no meio de nada importante. Continuo trabalhando na minha série Wild Cards , que é uma coisa contínua. No momento, estou trabalhando principalmente como editor, apesar de ter escrito metade do livro sete (que será lançado em agosto nos Estados Unidos). Esse é um mosaico de duas pessoas, eu e John Miller, por isso é essencialmente um romance colaborativo, do qual metade é meu.
Entreguei o livro oito e estou trabalhando na edição do livro nove, mas ainda não tenho histórias. Estou simplesmente trabalhando nisso como editor, e a série não para por aí. Até janeiro, é claro, eu estava trabalhando em no programa de TV A Bela e a Fera, mas que agora terminou, então eu assinei para fazer um filme de ficção científica de baixo orçamento (para fazer roteiro dele), mas não posso falar muito sobre isso. E estou testando algumas novas idéias de romance e tenho certeza que quando junho chegar (junho é tradicionalmente o mês em que a nova temporada de televisão começa em Hollywood) posso acabar recebendo ofertas para escrever ou produzir um novo programa de televisão. Eu teria que avalia-las, mas se eu voltaria para lá, eu não sei dizer. Depende do que tipo de show é, qual é a oferta, é algo que me interessa? Então, basicamente, tenho alguns meses de folga agora.
E: Um dos meus livros favoritos é oTuf Voyaging. A Locus [Magazine] anunciou há muito tempo que haveria um segundo livro,Twice as Tuf”. Eles estavam mentindo?
GM: Bem, eles não estavam mentindo. Pode ser que esse livro ainda venha, mas não será lançado tão cedo. Basicamente, eu assinei para fazer o Twice as Tuf e logo depois de assiná-lo, acabei trabalhando em Hollywood, primeiro em Além da Imaginação e depois em A Bela e a Fera , e isso ocupou muito do meu tempo. E o prazo chegou e foi embora e nós o estendemos várias vezes para Twice as Tuf e nada... Eu nunca tive tempo para produzir nada relativo a isso. Então, finalmente, cheguei a um entendimento com a editora, pelo qual lhes dei essencialmente dois dos meus direitos para brochura de dois outros livros, A Morte da Luz, meu primeiro romance, que eles acabaram de relançar, e direitos para brochura de uma de minhas coleções que nunca esteve foi impresso em brochura [Retrato de Seus Filhos - Ed. ], então eles farão uma edição desta também, e eles substituirão Twice as Tuf. Agora, eu ainda gostaria de escrever mais sobre esse personagem e ainda acho que vou retomar e fazer esse livro algum dia, mas exatamente quando esse dia chegará, eu não sei.
As demandas da TV quando estou trabalhando em um programa me mantêm bastante ocupado, e fazendo isso e os Wild Cards, eu não consigo dar conta de muita coisa. E agora que tenho um pouco de tempo para pensar em assumir outro projeto, não acho que a coisa "Tuf" seja a primeira coisa em que realmente me apetece entrar agora. Eu gostaria de fazer outro romance quando tiver tempo; um que não seja parte deu uma saga.
E: Você mencionou a Bela e a Fera e Além da Imaginação**.** Como é escrever uma série? Além da Imaginação deve ser bem diferente, pois é uma série antológica... Como foi sua experiência com isso, como você se envolveu e como foi?
GM: Bem, eu me envolvi nisso quase por acaso. Phillip de Guerre, que foi o produtor executivo de Além da Imaginação, também é um grande fã de rock 'n' roll, e há alguns anos atrás eu fiz um livro chamado The Armageddon Rag e Phil o selecionou para um filme. Naquela época, ele me levou para Hollywood, tive várias reuniões com ele para discutir o roteiro que ele planejava escrever para o filme de The Armageddon Rag e ele escreveu vários roteiros, mas nunca conseguimos fazer o filme ou conseguir financianciamento.
Mas eu conheci Phil no processo e, quando ele pôs Além da Imaginação em produção, resolvei arriscar e me deu um trabalho de roteiro, e gostou do resultado o suficiente para que, quando estavam com muito serviço, me trouxessem a bordo como Staff Writer (que é o único cargo de produção de Hollywood que contém a palavra "escritor" e, portanto, você sabe que é a posição mais baixa da cadeia, como de fato era). Então, comecei como redator em Além da Imaginação e subi até o Story Editore, em seguida, Executive Story Consultant. E, em A Bela e a Fera, eu fui Produtor e depois Coordenador de Produção.
Então, Alpem da Imaginação era bem diferente de A Bela e a Fera, de certa forma, porque um era um show antológico e o outro é uma série episódica semanal regular, e ainda assim os dois projetos tinham talvez mais em comum um com o outro do que qualquer outra coisa que eu já tenha feito, porque eles eram, afinal, a televisão, que é um mundo completo em si mesmo, e é diferente de qualquer experiência que um escritor possa ter, de verdade.
De certa forma, sinto que a televisão era boa para mim. Certamente foi bom para mim financeiramente [risos] e foi muito estimulante. Digo, eu havia sido um escritor independente por muito tempo antes de assumir esse emprego; trabalhando em casa, acordando todos os dias, levando duas horas para tomar minha xícara de café, entrar no escritório, ligar o processador de texto, talvez fazer alguma coisa, talvez não (Eu nunca fui um escritor muito disciplinado, e é por isso que minha bibliografia é comparativamente curta em comparação com alguns de meus contemporâneos).
Não é assim que Hollywood funciona. Você entra no escritório todos os dias, fica lá não por oito horas por dia, mas algo mais perto de dez, onze ou doze horas. Você está escrevendo, participando de reuniões, participando de sessões de apresentação, indo ao set, reunindo-se com o diretor ou o responsável. Então isto me impôs certa disciplina em mim; que era boa para mim e também extremamente estimulante. Digo, era um mundo totalmente novo para aprender, sobre o qual eu não conhecia nada antes, e isso me envolveu em algo que eu não tive por muitos anos; todo esse negócio de "ambiente de escritório", onde você realmente precisa entrar e interagir com outras pessoas.
Hollywood é um mundo estranho, mas, de certa forma, é o Mundo Real, e é bom para um escritor entrar em contato com o Mundo Real de vez em quando. Eu acho que um escritor que passa toda a sua carreira escrevendo romances a partir dos estudos que faz em sua casa (e talvez encontrando algumas pessoas em convenções ou ocasionalmente indo a um coquetel literário) perde de vista o mundo real, de como as coisas realmente são lá fora. E você começa a fazer muitas coisas auto-referenciadas, o que eu acho que é uma armadilha para qualquer escritor.
E: Você colaborou bastante durante sua carreira, fora o trabalho de televisão. Você gosta disso e como você faz?
GM: Cada caso é diferente. É como um casamento. Eu colaborei com Lisa Tuttle, Howard Waldrop, George Gutthridge. Com quem mais eu colaborei? Estou esquecendo alguém? [Risos.]
E: Bem, a televisão é colaborativa até certo ponto. Wild Cards é colaborativo, se preferir.
GM: Bem, com Wild Cards , estou funcionando mais como editor do que como colaborador, então isso é um pouco diferente. Cada uma das minhas colaborações era essencialmente diferente.
Aquele com Howard foi a primeira colaboração. Isso era basicamente: Howard e eu estávamos nos correspondendo há muitos anos, finalmente nos conhecemos em uma convenção em Kansas City, 1972, e devia ter algo errado naquela água ou algo do tipo porque decidimos "Ei, vamos fazer uma história juntos!" Então, enquanto todo mundo estava no Playboy Club no hotel de convenções servindo bebidas por coelhinhas voluptuosas, Howard e eu estávamos em nosso quarto de hotel com a pequena máquina de escrever portátil de Howard, martelando folhas de papel amarelo e, sabe, ele escrevia e ficava sentado atrás dele na cama e então ele parava e eu escrevia, e não produzimos muito coisa. Terminamos uma pequena parte, mas ele levou para casa, escreveu mais um pouco, enviou para mim e assim por diante.
Lisa e eu, éramos pólos opostos para começar. Ela estava no Texas e eu em Chicago quando começamos e depois em Dubuque, Iowa, e colaboramos principalmente através de e-mails, cada um de nós escrevendo uma seção, enviando-as para o outro, que reescreveria a seção anterior que o outro havia escrito e então avançaria um pouco mais além. Assim foi indo e voltando até que chegou um ponto em que eu não sabia mais o que Lisa havia escrito naquele livro e o que eu havia escrito. Ocasionalmente, uma frase se sobressaia como uma “frase de Lisa" ou uma frase minha, mas, fora isso, eu não saberia diferenciar.
A coisa com George Gutthridge, era uma história muito velha. Na verdade, foi uma das primeiras histórias de ficção científica que eu escrevi, que foi recusada várias vezes e que eu nunca fui capaz de vender. Anos depois, George pegou-a e reescreveu. Portanto, minha escrita foi feita no final dos anos 60, e ele a dele foi feita uma década depois.
E: Nightflyers foi transformado em filme há alguns anos atrás. O que você achou do filme? Foi bem diferente da sua história.
GM: Bem, acho que eles foram cerca de 75% fiéis, mas, infelizmente, os 25% que eles mudaram tiveram uma espécie de efeito cascata e fizeram com que os 75% que não foram alterados não fizessem tanto sentido quanto poderia ter. Eles fizeram algumas mudanças que eu aprovo e gostei e outras que não entendi e não gostei.
Eu acho que o filme teve algumas coisas boas - direção de arte adorável, efeitos especiais maravilhosos, considerando o orçamento que era minúsculo (sim, eles não têm os efeitos especiais de Guerra nas Estrelas, mas para um filme de três milhões de dólares - o que ele era - fizeram um trabalho muito impressionante) e tiveram algumas boas interpretações secundárias - mas no geral não acho que funcionou. Infelizmente.
E: Você tem outros projetos de filmes que possam ir adiante, em um futuro próximo?
GM: Eu tenho interesse constante em "Sandkings". Ele está sempre sendo selecionado. E tem havido algum interesse no Fevre Dream. E Phil ainda está ocasionalmente fuçando e conversando sobre O Armageddon Rag. Mas se alguma dessas coisas realmente vai acontecer, eu não seria capaz de afirmar.
E: Quem o inspirou como escritor? Quem são seus escritores favoritos?
GM: Há muitos escritores que eu gosto. Acho que aqueles que realmente tiveram mais efeito sobre mim foram provavelmente os escritores que li quando jovem. Costumo pensar que essas influências, que você absorve a nível subconsciente antes mesmo de sonhar em escrever, são as influências duradouras. Quero dizer, eu cresci lendo Andre Norton, lendo Heinlein Juveniles, lendo Eric Frank Russell (que eu acho um autor maravilhoso, mas que é por demais esquecido, infelizmente). Lovecraft: quando descobri Lovecraft, fiquei encantado por ele, por razões que tenho certeza de que eu entenderia se ainda tivesse quinze anos [risos].
Hoje em dia, meus escritores favoritos são uma lista diferente. Sou um grande admirador de Jack Vance. Eu não sei se Vance teve. . . Vance exerceu grande influência em Haviland Tuf, que começou na primeira história, "Uma Fera para Norn", como uma tentativa muito consciente de escrever uma história ao estilo "Jack Vance", e se você olhar em "Uma Fera para Norn", sou eu muito arduamente imitar Vance. E há ainda outras partes de Tuf que são muito Vancianas. Mas, fora isso, não acho que Vance tenha tido um efeito profundo na minha escrita. Eu leio muito fora deste ramo hoje em dia. Pessoas como Larry McMurtry, William Goldman, Pat Conroy. Essa é uma lista longa. Eu poderia dar nomes aqui o dia todo.
E: Como começou a série Wild Cards**?** Eu ouvi uma mito sobre isso.
GM: Bem, na verdade começou como um jogo de RPG. Há um grupo de escritores em Albuquerque que ocasionalmente jogam juntos, e eles me arrastaram para algumas de suas atividades. Então, eu joguei vários jogos com eles e eles sabiam que eu era um velho fã de quadrinhos desde a infância. Então, em um ano, no meu aniversário, Vic Milan me deu um jogo de RPG de super-herói chamado Superworld, da qual me tornei o Mestre. E pelo menos metade das pessoas em nosso grupo de jogadores eram escritores profissionais com histórias publicadas. Então eles criaram personagens realmente maravilhosos, e como Mestre eu criei mais personagens do que qualquer outra pessoa. E jogamos esse jogo incessantemente por um ano e meio e colocamos muita criatividade e desenvolvimento nos personagens. Neste ponto, eu finalmente disse, sabe, deve haver alguma maneira de ganharmos dinheiro com isso [risos].
Não, me ocorreu que seria uma excelente série de antologias em um mundo compartilhado, seguindo o modelo de Thieves World . Então, reunimos pessoas, conversamos a respeito, e talvez de meia dúzia a uma dúzia dos personagens foram incorporados. Agora, para deixar claro, não acredito apenas em botar no papel as aventuras dos jogos. Me parece uma boa maneira de obter uma ficção realmente ruim. Digo, jogos são divertidos, mas não são livros. Portanto, muitos de nossos personagens, embora tenham suas raízes no jogo, foram substancialmente alterados e adaptados na transição. Além disso, muitas pessoas envolvidas em Wild Cards não eram membros do jogo. Quero dizer, começamos com o núcleo dos escritores de Albuquerque, mas entrei em contato com muitas pessoas como Roger Zelazny, Howard Waldrop, Pat Cadigan, entre outros - que não faziam parte do grupo de jogos - mas que eu sabia que tinham algum carinho por heróis pulp ou heróis de quadrinhos, todo o conceito de superpotências e que eu pensei que seriam capazes de contribuir com algumas coisas interessantes para a série.
E: Para novos escritores em geral, algum conselho?
GM: Acho que este é um momento difícil para alguém que está estreando. Digo, o início dos anos 70, quando entrei, foi um período muito mais favorável.
O mercado de contos ainda está aberto. Digo, Asimov, Analog, F & SF estão constantemente procurando novas pessoas, porque você não consegue ganhar dinheiro suficiente com elas [as revistas de contos], então as pessoas tendem a não ficar por muito tempo. Ainda é o melhor lugar para estabelecer uma reputação. Eu acho que estabelecer uma reputação nesta época em que há tantos escritores... tornar seu nome algo que os leitores vão lembrar e procurar é uma das coisas mais importantes.
Uma das coisas mais inteligentes que fiz na minha carreira, que fiz por acidente - certamente não planejei – foi não escrever um romance nos primeiros cinco ou seis anos. Porque então, quando o romance foi lançado, não era apenas o romance de alguém que ninguém havia ouvido falar, era o tão esperado primeiro romance de George R. R. Martin, o vencedor do Hugo! Isso me proporcionou um pagamento adiantado muito maior, teve uma certa quantidade de hype, foi resenhado em todos os meios, teve visibilidade. E a maneira como conseguiu essa visibilidade, é claro, foi nas revistas: tendo não apenas um conto ocasional, mas tendo muitos contos [publicados] naqueles primeiros anos. Houve meses em que três revistas foram publicadas, todas com uma de minhas histórias nelas: histórias de capa. Assim, estas vendas iniciais de contos às revistas ainda são um dos melhores jeitos de se fazer isso.
A longo prazo, é claro, você precisará passar para romances se quiser ganhar a vida como escritor profissional em tempo integral. E essa é a parte que está se tornando cada vez mais difícil, principalmente se você é um escritor sério e com ambição. Digo, eu vejo o mundo de Hollywood com o qual lido, e o mundo dos livros de onde venho, estão ficando cada vez mais parecidos a cada ano que passa, e não é Hollywood que está mudando. Os editores de livros estão se tornando cada vez mais voltados para a ficção comercial, para os resultados. Assim, enquanto a empresa estivesse lucrando, eles bancariam um bom autor por alguns anos e alguns livros até que ele encontrasse seu público e estabelecesse sua reputação. Agora, se o seu primeiro livro não ganhar dinheiro, você terá muita dificuldade em vender o segundo. Digo, esta é a situação atualmente. Muitas pessoas dizem que é realmente muito bom comercialmente vender um primeiro romance. Mas se esse primeiro romance não se provar um David Eddings ou um Stephen Donaldson, é comercialmente terrível por a venda seu segundo romance.
E: Tendo participado de Alpem da Imaginação e Wild Cards , você acha que o "mundo compartilhado" está se tornando uma tendência séria ou você acha que é apenas uma fase pela qual estamos passando?
GM: Bem, acho que há um pouco de ambos. Não acho que antologias funcionaram na televisão, o que é uma coisa a lembrar. Veja, Além da Imaginação foi um fracasso, nem um pouco tão bem-sucedido quanto o programa original, que foi de certa forma um programa periférico por cinco anos, por mais aclamado que fosse (e foi um programa maravilhoso que assisti religiosamente quando criança). Em algum momento dos meus discursos aqui [em Danse Macabre] eu acho que vou falar um pouco mais a respeito, mas esta entrevista não será publicado antes do evento, então, apenas adiantando assunto: eu acho que. . . todas as formas de ficção, todas as formas de entretenimento estão se movendo cada vez mais para as séries. Quero dizer, vemos pessoas em nosso ramo olhando para ele com uma visão muito restrita e dizendo "O que está acontecendo com a ficção científica? Essas malditas séries!". Não está acontecendo apenas na ficção científica, está acontecendo com todas as formas de ficção. Está acontecendo na televisão, onde os programas de antologia não conseguem ter sucesso e as pessoas querem programas de séries. Está acontecendo nos filmes, onde você tem Rambo IV e Rocky IX . Qualquer coisa que faz sucesso retornará com em um “II”, no final.
E: Quem você culpa? Você culpa a televisão ou. . .
GM: Não, eu não culpo a televisão. Eu acho que parte disso é a evolução da nossa cultura. Ainda estou procurando algumas explicações sobre isso; não tenho todas ainda. Portanto, isso não é conclusivo como em um artigo acadêmico, mas eu tenho o começo de algumas teorias a respeito. Não sei o suficiente sobre a Austrália para falar sobre a cultura de vocês com qualquer autoridade; eu sempre pensei nisso em termos de Estados Unidos.
Se você olhar para o romance: quando o romance foi concebido, era. . . o próprio nome denota novidade - "o novel", é uma coisa nova, derivada da raiz latina. Mas o romance foi apresentado em um momento em que a sociedade era muito estática, onde as pessoas nasciam em uma cidade pequena e talvez nunca tivessem ido a mais de 48 quilômetros dela (a menos que entrassem em guerra). Quero dizer, as pessoas nasciam na Inglaterra, a cem milhas de Londres; e nunca viram Londres. Eles viveram e morreram sem vê-la. Eles exerciam o ofício que sua família exercia, eles se casavam com a garota da casa ao lado, permaneciam casados ​​com ela por toda a vida, criavam filhos que efetivamente assumiriam o comércio quando eles morressem. Nesse mundo, os romances, com sua promessa de novidade, eram um sopro de ar fresco. Eles o levariam vicariamente a lugares que você nunca iria. Eles o apresentariam a uma gama muito maior de pessoas. Se você estava entediado com as dezessete pessoas que você via todos os dias em sua aldeia, eis aqui outra pessoa que você conheceria, e todos eram novos.
Agora, você olha o que existe nos Estados Unidos. Quando falamos sobre a América hoje, você tem uma sociedade completamente móvel. Digo, eu olho para minha própria vida. Nasci em Bayonne, Nova Jersey. Fui para a faculdade nos arredores de Chicago, que fica a milhares de quilômetros de distância, deixando pra trás todos os meus amigos em Bayonne, perdendo o contato com eles, fazendo novos amigos na faculdade. Eu me mudei . . . na verdade, fui para a escola em Evanston, ao norte de Chicago, e depois me mudei para Chicago [enquanto] meus amigos da faculdade se espalharam por todos os Estados Unidos, e eu conheci outro grupo de pessoas enquanto trabalhava nos meus primeiros anos em Chicago. Ensinei na faculdade em Dubuque, Iowa, novamente me mudando, e depois fui para Santa Fe e depois para Los Angeles. Então, eu estou com quarenta e poucos anos e tive cinco grandes movimentos de milhares de quilômetros na minha vida, o que geralmente significa ter tido um conjunto completamente diferente de amigos. Tive várias carreiras diferentes: ensinei em faculdade, fiz torneios de xadrez, fui escritor, fui roteirista de televisão (o que é diferente de ser escritor de livros). Eu fui casado e divorciado e já estive em vários outros relacionamentos. (Agora estou em um relacionamento há bastante tempo). E sou estável em comparação com algumas pessoas! Quero dizer, há imensa mobilidade em curso.
Eu acho que essa atual é uma cultura em que nada é estável. Ou seja, passa o mais longe possível da cultura que produziu o romance. Digo, sua profissão não está definida, as pessoas estão sempre mudando-a durante a vida. Eles chegam aos quarenta e cinco e decidem: "Bem, eu não quero mais ser advogado, apesar de ter sido treinado para isso a vida toda. Agora, quero navegar de barco pelo mundo". Eles se casam, se divorciam, perdem contato com todos os amigos. As famílias nem ficam mais em contato. Assim, a ficção, que nos fornece vicariamente as coisas que não recebemos na vida, a ficção nos dá estabilidade. Digo, vinte anos podem ter se passado, você pode ter um emprego diferente, você mora a duas mil milhas de onde começou, é casado com alguém diferente, mas Star Trek ainda é o mesmo. Você pode voltar lá, e aqui está esta pequena ilha onde Kirk e Spock ainda vão discutir um com o outro, e eles são quase como que amigos seus, com quem você sempre pode contar para estarem lá. Você não irá ligar para um amigo antigo - e ele se transformou em alguém que você não conhece. Kirk nunca se transforma em alguém que você não conhece. Ele sempre permanece sendo Kirk. E o que eu consigo perceber sobre o sucesso das séries, mesmo dentro do ramo, está sempre relacionado aos personagens. Existe uma relação muito forte com os personagens. Digo, se você participa de um painel chamado Writing the Science Fiction Novel, você recebe perguntas gerais da platéia sobre "Como eu vendo meu romance?" [e] "Como começar quando se escreve um romance?" Você nunca recebe perguntas específicas sobre o livro. Se você aparece em painel sobre Wild Cards ou Thieves World, você recebe perguntas como: ​​"Eu não gosto do que você fez com Hiram Worchester. Quando você vai ajudá-lo?" ou "Você vai dar um descanso para o Tartaruga?" ou "Por Deus, eu não suporto esse tal de Fortunato. Ninguém vai dar um soco na boca dele?" Digo, as pessoas formam esses relacionamentos intensos de amoódio com determinados personagens, e acho que isso é acontece com todas as séries.
E: Muito obrigado.
GM: Claro, o prazer é meu.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]

Pergunta de BryndenBFish e NPR de novo (out/2019) e Entrevista a OMNI (nov/1996)

Mais recente: Chicago Humanities Festival (11 out 2019)
Link no arquivo: https://www.westeros.org/Citadel/SSM/Entry/16170
O SSM consiste em um vídeo de 5 minutos carregado no youtube em que Martin responde à pergunta selecionada no twitter pela entrevistadora Eve L. Elewig. "Coincidentemente", foi a elaborada por Jeff Hartline (mais conhecido como BryndenBFish). Que marmelada...
Brincadeiras à parte, a pergunta foi "Ele acredita que Robert, Ned e Jon Arryn estavam certos em se rebelar contra Aerys? Ou ele teria permanecido leal a Aerys e os Targaryens?". Martin se desviou da pergunta e enrolou. Veja no vídeo.
--------------------------------
Mais recente (2): Entrevista à NPR Chicago (19 out 2019)
Link no arquivo: https://www.westeros.org/Citadel/SSM/Entry/16176
Na verdade, este artigo foi uma compilação da entrevista de Martin à WGN Radio e do bate-papo ocorrido na Chicago Public Library Foundation (CPLF), ambos já relatados aqui (vide aqui e aqui)
--------------------------------
Mais antigo: Transcrição de uma entrevista à OMNI Magazine (21-22 nov 1996)
Link no arquivo: https://www.westeros.org/Citadel/SSM/Entry/1425
A entrevista parece ter sido feita no formato de chat da internet, como vários códigos de hora, data e IPs. Eu suprimi tudo isso, deixando apenas nickname e mensagem, em ordem cronológica (a entrevista começou no dia 21 e terminou no dia 22). A tradução segue abaixo:
-
Ed_Bryant_Mod : Boa noite, Sr. e Sra. América, e todos as naves no espaço! Esta é outra edição do Omni Visions Prime Time com Ed Bryant. Meu convidado esta noite é aquele escritor estelar de ficção científica, fantasia, romances, contos, filmes e TV, George RR Martin. Boa noite, George!
GeoRR : Para constar, deixe-me dizer que nunca trabalhei em ST:TNG [Star Trek: The New Generation], apesar do crédito que Ellen me deu quando ela estava divulgando isso. Portanto, sem perguntas sobre Data, por favor. Com Vincent eu posso lidar... bem, tanto quanto qualquer pessoa pode lidar com Vincent.
GeoRR : Perdemos contato com Ed?
Ellendat : Enquanto Ed tenta voltar para nós, eu gostaria de me desculpar com George por me enganar quanto a sua participação no ST:TNG.
GeoRR : Acho que Ed caiu de vez. Ele me avisou que isso poderia acontecer.
Ed_Bryant_Mod : Opa, desculpe pessoal! Minha introdução fantástica para George desapareceu repentinamente e eu fui interrompido por uma mensagem de "erro no servidor". Eu estou de volta, então eu vou aumenta-la (mais).
ellendat : Eu sei que posso falar por muitos de seus leitores (e provavelmente membros da platéia aqui) que é bom você voltou a escrever ficção em prosa depois de vários anos concentrando-se em TV.
GeoRR : Há dias em que estou muito satisfeito por estar "de volta" (embora nunca tenha realmente ido embora, sabe - durante todos os meus anos em Hollywood, escrevi e editei WILD CARDS). Há outros dias em que sinto falta da TV. Certamente sinto falta dos grandes carrinhos de mão de dinheiro que costumavam rolar no meu escritório.
Ed_Bryant_Mod : Para aqueles que possam ser novos na SF [Ficção Científica], George Richard Raymond Martin começou a publicar profissionalmente em 1971, com uma curta história para GALAXY. Seus livros subsequentes incluem A MORTE DA LUZ, TUF VOYAGING, SONHO FEBRIL, ARMAGEDDON RAG, a série WILD CARDS (como participante e editor), SANTUÁRIO DOS VENTOS (com Lisa Tuttle) e, entre muitas outras coisas, A GUERRA DOS TRONOS, o primeiro volume enorme em uma série de fantasia épica maciça. *ufa* Além disso, ele passou uma estada em Hollywood trabalhando com A BELA E A FERA e a renascida ALÉM DA IMAGINAÇÃO. Então, George. Quando você dorme e quanto tempo antes de terminar a série de fantasia?
GeoRR : Eu pretendo dormir entre o terceiro e o quarto volumes, ed. Eu dormia um pouco entre o segundo e o terceiro, mas agora é a hora de escrever um roteiro de SONHO FEBRIL que devo à Hollywood Pictures. Hollywood Pictures não existe mais, com certeza, mas eu ainda devo o roteiro. Se eu permanecer dentro do cronograma, devo terminar AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO até o final de 1998, mas não prenda a respiração. Esses livros têm três vezes o tamanho de romances comuns, até grandes romances como SONHO FEBRIL, e estou aprendendo da maneira mais difícil quanto tempo leva para escrever um.
Ed_Bryant_Mod : Talvez você seja um viciado em adrenalina, George. Sobre a série de fantasia: Por quê? (sendo franco). Esta não é fantasia como avô, com certeza. É difícil, mas romântico. O que o intrigou em embarcar em um projeto tão grande?
GeoRR : Pudera eu saber. Na verdade, comecei o livro no verão de 1991. Eu estava entre os projetos de Hollywood, então decidi começar um novo romance, ver até onde chegava. O romance que comecei era um livro de SF chamado AVALON, ambientado na mesma "história futura" de DYING OF THE LIGHT e de muitos de meus contos. Na verdade, eu escrevi três capítulos. Mas então um dia o capítulo inicial de A GAME OF THRONES me veio tão vividamente que eu tive que escrevê-lo. Não é o prólogo, lembre-se, mas os primeiros capítulos, onde Bran vê o homem decapitado e encontra os lobos gigantes na neve. A próxima coisa que eu sabia era que AVALON havia sido colocado em uma gaveta e a fantasia tomara conta de mim completamente. Eu sabia que estava perdido quando comecei a desenhar mapas. Porém, é claro, DOORWAYS foi selecionado e fui convocado de volta a Hollywood, mas o livro nunca esteve longe de meus pensamentos.
Ed_Bryant_Mod : Intrigante... voltando um pouco. Quando você era mais jovem, antes de começar a escrever, qual o papel da fantasia em sua vida? O que você leu? Você jogou jogos com dragão e lobo gigante? E onde o seu gosto nesse sentido se desenvolveu como leitor e escritor adulto?
GeoRR : Acho que estou tendo alguns problemas aqui. O sistema comeu minha resposta.
Visitante (Gdozois) : Ellen, Gardner Dozois aqui. Quando George e Ed voltarem, pergunte se ele tem planos de publicar Turtle Castle um dia desses.
ellendat : Gardner, sua pergunta está aqui para que todos vejam :) shhh.
GeoRR : Estou de volta, acho. Eu desloguei e voltei. Todo o sistema parou aqui e nenhum dos comandos parecia funcionar.
GeoRR : Deixe-me tentar essa resposta novamente. Quando criança, eu lia principalmente SF e quadrinhos... não =havia= nenhuma fantasia sendo publicada naquela época. Eu descobri JRR Tolkien no colégio, quando Ace publicou sem autorização o Senhor dos Anéis. Fiquei Maravilhado. Também li Robert E. Howard, provavelmente antes de Tolkien. Conan era divertido, mas a Terra Média era mágica e maravilhosa. O =lugar= era tão importante quanto o enredo ou os personagens, acredito. É assim em toda grande fantasia. Estou tentando tornar meu mundo, meus sete reinos, tão vividamente real quanto JRR fez com o dele.
GeoRR : Olá, Gargy. Ninguém liga para TURTLE CASTLE.
Visitante (Gdozois) : Eu imagino isso como uma obra-prima perdida que será descoberta após sua morte e o catapultará para a fama mundial.
Visitante (169.197.15.29) : E quanto a Burroughs e Wells?
GeoRR : Eu tentei um Edgar Rice Burroughs. Um dos livros "Moon", eu acho. Eu devia estar velho demais, porque odiei e nunca tentei outra até Melinda Snodgrass e eu sermos contratados para fazer o roteiro de A PRINCESA DE MARTE. Eu li HG Wells, é claro. A MÁQUINA DO TEMPO em particular foi == e é == um dos meus favoritos.
Ed_Bryant_mod : George, junto com a fantasia, você parece ter muitos interesses em escrever. Nos interstícios entre mega-fantasias e trabalhos de Hollywood, alguma esperança de mais SF ou horror? Há aqueles de nós que se lembram de SONHO FEBRIL e ARMAGEDDON RAG com carinho indisfarçável.
Visitante (169.197.15.29) : Acho que eu tinha 10 ou 12 anos quando peguei Burroughs. É o que me fez começar, eu acho.
GeoRR : Oh, definitivamente farei outras coisas eventualmente, se a fantasia terminar. Tenho anotações para duas sequências de SONHO FEBRIL, tenho duzentas páginas do romance de Jack, o Estripador, que comecei em 1985 e nunca consegui vender, e quero fazer um livro com um dos meus pilotos de televisão não filmados. Aquele lá é pura SF.
Visitante (Gdozois) : Aproveitando que você o está importunando, Ed. Eu gostaria que ele escrevesse algumas novas histórias de ficção científica. --Gardner
ellendat : Sim. Eu também.
GeoRR : Na verdade, Gargy, é por isso que eu estava ligando para você no outro dia. Eu tinha essa noção ... bem, é muito complicado falar disso aqui, e não devemos falar disso em público de qualquer maneira, mas é uma ideia que eu gostaria de explorar com você quando você tiver meia hora ou mais .
Ed_Bryant_mod : A menção da PRINCESA DE MARTE me obriga a perguntar... Além das cargas de dinheiro em carrinhos de mão, qual é o apelo em Hollywood ? Você viu sua história "Reis da Areia" se tornar o piloto da renascida A QUINTA DIMENSÃO - Melinda Snodgrass (a escritora) e os produtores / diretores / atores visualizaram sua história de uma maneira que você a reconheceria?
Visitante (Gdozois) : Você sabe como se apossar de mim, George. Qualquer hora. --Gardner
GeoRR : Além disso, há esta novela chamada "Shadow Twin" na qual um certo Sr. Dozois e eu estávamos colaborando. Ellen, quer comprar uma novela Dozois / Martin?
Visitante (Gdozois) : Talvez possamos mesclar SHADOW TWIN com TURTLE CASTLE. --Gardner
ellendat : Estou certamente interessada. Está terminada?
Visitante (169.197.15.29) : Escritor iniciante fica [mais] verde.
GeoRR : Hollywood ... bem, essa é uma resposta complicada. Você realmente precisa subdividir Hollywood em duas arenas separadas, TV e Cinema. Eu trabalhei em ambos. TV foi muito emocionante, estressante, mas gratificante. Trabalhei em alguns bons shows, escrevi roteiros dos quais me orgulhava, os vi filmados, subi de um humilde redator para um exaltado produtor supervisor e quase consegui meu próprio show. Eu odiava morar em Los Angeles, mas gostava muito de trabalhar na TV.
Filme, por outro lado, cheguei ao ódio. O escritor é rei na TV; no filme, o escritor é uma merda. Passei três ou quatro anos da minha vida fazendo roteiros, vários deles com Melinda, e não tenho um punhado de filme para mostrar. De fato, ninguém nunca viu os roteiros, exceto alguns executivos de desenvolvimento. Adoro ir ao cinema, mas se tiver sorte, nunca mais precisarei "desenvolver" um filme.
Ed_Bryant_mod : Com algo parecido com o seu próprio show ... DOORWAYS. Esse era um conceito adorável e sofisticado de SF com boa reflexão sobre transitar em um mundo paralelo. Que tipo de forças foram necessárias para matá-lo?
GeoRR : Nunca terminei, Ellen ... mas um dia desses. Primeiro, preciso digitalizá-lo e colocá-lo em um disco. As páginas que temos (um bocado bastante grande) foram realmente escritas em uma = máquina de escrever =. Lembra-se delas? Eu tive uma máquina de escrever elétrica, já Gardner...
Visitante (169.197.15.29) : Eu pensei que ele se transformou (sem a sua influência) em Sliders. (não é um show muito bom, por acaso) -- David Felts
GeoRR : O que matou DOORWAYS foi principalmente foi uma sincronia ruim. Em agosto de 1992, quando exibimos o piloto para a emissora pela primeira vez, a ABC estava salivando para encomendá-la e, de fato, encomendou seis scripts de backup, um número muito alto. Mas estávamos muito atrasados ​​para a temporada do outono de 1992, então tivemos que esperar até maio do próximo ano. Entre agosto e maio, os dois maiores campeões da rede, os executivos que haviam trabalhado no programa conosco, partiram para outros empregos. Seus sucessores nos consideravam algo que restava do antigo regime. Quando chegou a hora da crise, a ABC decidiu que eles queriam apenas um único novo programa de SF em sua programação e seguiram com LOIS & CLARK, que havia sido desenvolvido pelo regime seguinte. E para quem não sabe o que foi o DOORWAYS ... bem, foi SLIDERS. Só que bom.
Visitante (Gdozois) : George, vamos sair agora. Tenha uma boa entrevista e diga Olá para Parris por nós. Boa noite Ellen, Ed e os demais. --Gardner
Ed_Bryant_mod : Uma pergunta em outra área. WILD CARDS, aquela longa série de livros de Bantam e Baen sobre supercaras e supermocinhas, vivos e às vezes bem, em um mundo que eles realmente criaram - alguma chance de continuar de alguma forma? Ainda parece haver público.
GeoRR : Gostaria muito de continuar com WILD CARDS, mas agora há muitas outras coisas no meu cardápio. Além disso, não temos um editor. Em retrospecto, mudar para a Baen foi um grande erro. Eles nos pagaram mais dinheiro, mas não venderam os livros com a mesma eficácia que a Bantam e depois nos culparam pelas vendas fracas. Suspeito que os WILD CARDS retornarão eventualmente, de alguma forma, embora possa haver um hiato de alguns anos. Alguns dos escritores estão fazendo barulho sobre como fazer histórias independentes sobre seus personagens e vendê-los para as revistas. Se algum dia eu encontrar tempo, provavelmente eu mesmo farei algumas histórias de Tartaruga e Popinjay.
Ed_Bryant_mod : Falando em WILD CARDS, apenas no caso de um de nossos sistemas travar novamente, eu queria fazer uma pergunta que assombra a maioria de nós, escritores. À medida que os livros esgotam com grande velocidade, eles se tornam o desespero do leitor lento demais para pegá-los durante as oito horas em que estavam à venda... Você é um dos escritores ativistas que se esforçou para manter seus livros disponíveis com seus próprios esforços. Isso está funcionando? E como os leitores podem aproveitar o seu serviço nessa área?
GeoRR : Sim, eu realmente mantenho estoques de meus livros esgotados e sobressalentes, tanto de capa dura quanto de brochura. De WILD CARDS, tenho volumes 1,2,6,7,9 e 11. Também tenho livros de bolso britânicos de REIS DA AREIA e TUF VOYAGING, a adorável edição limitada numerada e assinada do ARAMGEDDON RAG com slipcase e as primeiras edições do SONHO FEBRIL, SANTUÁRIO DOS VENTOS E RETRATOS DE SEUS FILHOS. Qualquer pessoa que queira alguma dessas informações pode me enviar um e-mail para [[email protected]](mailto:[email protected]) ou [[email protected]](mailto:[email protected]). Os preços são muito razoáveis ​​e os autógrafos são gratuitos. Você não apenas receberá um livro lindo e assinado, como também ajudará a apoiar meu mania com soldados de brinquedo. Desde que comecei a fantasia, fiquei viciado em colecionar cavaleiros em miniatura.
Ed_Bryant_mod : Ótimo. Lembrarei às pessoas que livros assinados e personalizados são ótimos presentes de fim de ano. Voltando a WILD CARDS momentaneamente. Uma enorme quantidade de material foi publicada ao longo de alguns anos de trabalho duro e febril. O que você acha que foi o maior apelo?
GeoRR : Bem, tivemos alguns escritores muito bons e algumas histórias fantásticas, mas acho que foi mais do que isso. O que notei no WILD CARDS foi o intenso interesse que os leitores desenvolveram nos personagens. Eles não eram apenas fãs do Wild Cards, eram fãs do Turtle, ou do Tachyon, ou do Fortunato. Cada leitor tinha personagens que amava e outros que odiava com a mesma paixão, e eles queriam acompanhar suas vidas. Eu sustento que é a mesma coisa que faz as pessoas acompanharem novelas de TV.
Marilee : George, eu sempre leio todas as histórias em Asimov, até mesmo as fantasias, mas frequentemente não estou interessado em comprar um livro relacionado a uma história de fantasia. Eu li "Blood of the Dragon" na edição de julho e imediatamente encomendei A GUERRA DOS TRONOS (que está abrindo caminho ao topo da pilha de leitura). O que fez você decidir escrever uma fantasia agora?
GeoRR : Marilee, eu respondi sobre esse assunto, talvez antes de você entrar. Não sei se há como retroceder, mas ... resumidamente, o livro não me deu escolha. Eu estava trabalhando em um romance completamente diferente, mas A GUERRA DOS TRONOS acabou de me tomar. Estou feliz que você tenha gostado de "Blood of the Dragon". Eu estava trabalhando em um capítulo de Daenerys hoje, por incrível que pareça.
Estranhamente, acho que nunca poderia ter escrito A GUERRA DOS TRONOS, a menos que eu tivesse feito WILD CARDS primeiro. O grande elenco de personagens de GOT é muito diferente dos meus romances anteriores, que se concentram muito em um único protagonista (A MORTE DA LUZ, SANTUÁRIO DOS VENTOS, ARMAGEDDON RAG) ou no máximo dois (SONHO FEBRIL). WILD CARDS, por outro lado, é =repleta= de personagens, e editar esses livros, especialmente os romances-mosaico, me deu muita prática no malabarismo com vários pontos de vista. Estruturalmente, A GUERRA DOS TRONOS é um romance-mosaico de WILD CARDS, só que comigo escrevendo todas as partes.
Ed_Bryant_mod : George, agora que você é um veterano em Hollywood, você acha que algumas das mesmas forças estão começando a deformar a publicação impressa também? Os novos autores com romances não seriados estão perdidos? E a publicação na web? Sinta-se à vontade para abordar qualquer um desses...
GeoRR : Uma pergunta deprimente, e uma resposta ainda mais deprimente ... mas sim, devo dizer, acho que as publicações estão sendo Hollywoodizada e tenho muita empatia por novos escritores que tentam entrar no ramo. Acho que ainda é será possível fazer um bom trabalho, mas muito menos possível ganhar a vida com isso. Quem ganhará a vida com isso serão as pessoas trabalhando em franquias e atendendo a gostos já estabelecidos, como [Star] Trek e Star Wars. É uma imagem sombria para alguém que realmente quer ser escritor em tempo integral. Por outro lado, antes de 1970 havia pouquíssimos escritores de SF em tempo integral, então talvez estejamos voltando ao que havia na Era de Ouro.
Ed_Bryant_mod : Deprimente, de fato. E o admirável mundo novo da publicação on-line? Alguma área brilhante que você possa enxergar?
GeoRR : Ainda não estou convencido de que a publicação on-line possa funcionar. Quero dizer, não vejo como alguém faria dinheiro com isso. Além disso, devo admitir, adoro livros, a sensação deles, a aparência deles, a conveniência. Leio-os na banheira, na cama e sentado ao ar livre. Não posso fazer isso com um leitor on-line, e também não gosto de imprimir romances e ter que lutar com pilhas de papel pesadas.
Marilee : Li todas as novelas OMNI no meu HP200LX - um computador de bolso que é mais leve e menor que a maioria dos livros, e pode ser segurado como um. Eu os li em consultórios médicos, restaurantes ou em qualquer lugar que eu tivesse que esperar. Ainda assim, ele seria muito caro se fosse apenas para ler livros.
Visitante (206.113.120.25) : Quais são suas próximas aparições na Whimpy Zone? --Keith
GeoRR : Não há muitas viagens nos meus planos atuais. Eu fiz uma turnê de quinze cidades pelo A GUERRA DOS TRONOS em setembro e outubro, além de Worldcon, Archon e World Fantasy Con, então agora estou feliz por estar em casa. Estarei em Archon novamente em outubro próximo e, claro, na worldcon em San Antonio, e em fevereiro vou a Nova Orleans para o Mardi Gras. Além disso, eu não sei. Eu posso ir ao Neulas [Nebula] em Kansas City.
Marilee : O que você fará com os cavaleiros de brinquedo quando os adquirir? Eu tenho muitos spaceguys de Lego, mas eles geralmente ficam na prateleira e são reorganizados de vez em quando.
Ed_Bryant_mod : Hmm, George. Talvez você possa se tornar um fazedor de pacotes e iniciar linhas de romances que exploram o mundo dos ônibus espaciais e cavaleiros de brinquedos Lego. Publique-os como Ron Goulart costumava escrever quando estava na publicidade... na parte de trás dos pacotes...
Talvez uma ou duas perguntas finais à medida que o tempo diminui. Onde você se vê como escritor em dez ou vinte anos, George? Ainda fazendo o mesmo reconhecidamente amplo leque de ficção? Ou há novas fronteiras que você deseja encarar?
GeoRR : Quanto aos cavaleiros, sim, eu os coloco nas prateleiras, arrumo os dioramas, os reorganizo e compro vitrines cada vez maiores e mais caras. Porém, eu não lido com Lego. Tenho Britain, Pings, Timpos, Banners Forward, Arsenyevs, Hornungs, Tiffany Soldiers, Staddens, Wyvern Standards, Traditions e uma dúzia de outros fabricantes, e também compro as remodelagens baratas de plástico e as pinto. Essas não são miniaturas de jogos, entenda. Estes são do tamanho tradicional de soldado de brinquedo, de 54 a 70 mm. As miniaturas de jogos são de 15 ou 25 mm, pequenas em comparação. Minha grande fantasia é encontrar o veio-principal da Courtenays sendo vendido em um mercado de rua por três dólares cada. Sorriso.
Ed, para dizer a verdade, não sei ao certo o que vou escrever daqui a cinco anos, muito menos vinte. Livros, TV, contos... Eu gostaria de fazer de tudo, mas nunca há tempo suficiente. Especialmente porque tenho o vago desejo de tentar ter uma vida também. Na verdade, não me saí tão bem nessa última parte; às vezes, olho para trás sombriamente ao longo de todos os anos passados ​​sentados em frente aos vários tipos de teclado, escrevendo sobre paixão, aventuras e maravilhas, quando o que realmente quero é =vivenciar= alguma delas. Mas talvez essa seja a maldição de todos os escritores. A maioria das biografias de escritores é mortalmente monótona, exceto para outros escritores - páginas e páginas de "E então ele escreveu". Ah, ok.
O que eu desejo para você, George, é que talvez você possa dividir seu tempo entre o teclado e o mundo. Nunca é tarde demais para ter uma aventura genuína. Então, boa sorte. E não leve nenhum soldados de brinquedo de madeira. Muito obrigado por participar do Omni Visions Prime Time hoje à noite. E para o resto de vocês, obrigado por participar. Boa noite a todos.
Marilee : Obrigado por aparecer, George!
GeoRR : Feliz de ter vindo aqui. Ed, Ellen, obrigado por me convidar. Depois que resolvemos os problemas, foi divertido.
GeoRR : Boa noite, Pessoal.
ellendat : Boa noite, George, e obrigado por ter vindo.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]

Lembram dos vídeos de urnas mostrando candidatos diferentes dos digitados, que o TSE disse que eram fake? Então... Um Plot Twist acaba de acontecer...

Contexto:
  1. G1: É #FAKE vídeo em que eleitor seleciona a tecla "1" e aparece automaticamente o candidato Fernando Haddad na urna
  2. Terra: 2,4 mil urnas com defeito tiveram que ser trocadas no 1º turno
Muitos aqui devem se lembrar do episódio acima, durante as eleições muitos relatos apareceram de eleitores que não conseguiam votar em seu candidato por que aparecia outro ou automaticamente a urna cancelava/anulava o voto. Alguns vídeos foram gravados mostrando isso. Logo em seguida o TSE divulgou uma nota dizendo que os vídeos eram montagens, os relatos eram fake, a mídia divulgou a nota do TSE como confirmação de que era tudo fake news e ficou tudo por aí. Ao mesmo tempo o próprio TSE divulgou que 2,4 mil urnas foram substituídas durante as eleições por apresentarem defeitos. Muitas pessoas não ligaram a primeira coisa a segunda coisa.
Pois então, um fato novo acaba de acontecer:
Este é um vídeo gravado ontem (20/10/2018), durante a auditoria pública feita pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo feita em uma dessas urnas que foi substituídas por ser acusada de mostrar votos errados. O que significa o que você está vendo nesse vídeo? Esse é o momento em que um funcionário do TRE tenta ligar a urna que foi substituída. A urna roda o teste de teclado. O teste exige que o funcionário digite os números 1234567890 em ordem, todas as urnas exigem esse teste, caso o teste falhe, a urna se recusa a rodar o software de votação (edit: o fato da máquina ter sido utilizada na votação apesar de falhar nesse teste é justamente um dos problemas que foi apontamos, o TRE não nos respondeu). O funcionário tenta várias vezes, e falha, por que logo nos primeiros dígitos a urna insere números falsos. As vezes repete o mesmo número, as vezes coloca 3 depois do 1, as vezes coloca o 3 denovo depois de digitar o 3, confirma e/ou cancela eram apertados automaticamente sem ele tocar nos botões. Assim como nos vídeos iniciais que o TSE afirmou que eram fake.
Aos 4min do vídeo, ele desiste e admite com todas as palavras: não pode continuar o teste nessa urna pois o teclado não funciona.
Só isso já comprova que os erros mostrados em vídeos por eleitores, digitar 1 dígito e a urna automaticamente colocar outros dígitos, eram sim verídicos. Comprovados agora pelo próprio TRE. Então, o que era fake news era a nota do TSE dizendo que os relatos de eleitores eram fake news. O que era fake news era a matéria do G1 dizendo que o vídeo era fake news, apontando como única prova, a afirmação do TSE que eram fake.
Isso já é bem grave. Mas os problemas não pararam por aí! O teste mostrado no vídeo acima continuou. Com muitos mais tropeços do TRE. Se você quiser pode ler aqui todo o relatório completo feito pelo engenheiro especialista em segurança de dados que estava ali presente. Mas vou tentar fazer um resumo bem simples:
Conclusão: depois de trocar fisicamente a urna usada nas eleições, depois de trocar todo o software do que foi usado nas eleições, depois de avisar a urna pra ela se comportar pois estava em teste, rodaram todos os testes com votos errados e concluíram que:
NOTA: Auditoria confirma segurança das urnas eletrônicas
Fonte: relatório oficial do TRE sobre tudo o que ocorreu acima.
Isso é, o teste era só uma demonstração do TSE confirmando pra vocês que podem confiar no TSE. O teste provou que os relatos de urnas mostrando candidatos diferentes dos digitados eram reais, e o TSE concluiu o contrário.
Se me permitem roubar uma piada. Confiar no TSE pra julgar se houve fraude nas urnas, é como a FIFA dizer "Agora você que decide se foi falta ou não, Neymar".
PS: não, eu não vou votar no Bolsonaro, nunca votaria nele. Isso é um assunto que todos nós, independente de qual "menos ruim" escolhem, deveriam estar igualmente preocupados.
TLDR: esse vídeo prova que os relatos de urnas mostrando candidatos diferentes dos digitados eram reais.
submitted by vibrunazo to brasil [link] [comments]

Um destrinchamento do Ease of Doing Business Index 2019 do Brasil (Parte 1 / 2)

O que é o Ease of Doing Business Index?
O Índice é feito pelo Banco Mundial, feito baseado nesse paper científico de 2002, suas conclusões foram: "Countries with heavier regulation of entry have higher corruption and larger unofficial economies, but no better quality of public or private goods. Countries with more democratic and limited governments have lighter regulation of entry."
"Por que eu devo confiar num banco?"
O Banco Mundial, diferente de outros bancos privados que tem como objetivo o lucro apenas, é um instituição internacional financeira, com missão principal ser a redução de pobreza, tendo status de observador no Grupo de Desenvolvimento das Nações Unidas, por mais que haja críticas por coisas passadas, houve grande reformas em 89 que leva ao que temos dele hoje. Enfim, não é um banco privado qualquer.
Se é tão a favor do liberalismo assim por que não usar o índice de liberdade econômica?
O Índice de Liberdade Econômica é feito por um think-tank conservador norte-americano, seus critérios são péssimos para entendermos o quão boa a economia de um país pode ser, por comparação vejam aqui o mapa mundial de acordo com o Índice de Liberdade Econômica Onde se fosse por ele pensaríamos que países como a China e a França tem uma economia péssima e vejam o mapa mundial de acordo com o Ease of Doing Business Index (Mapa de 2016) onde dá pra entender muito melhor as nuâncias do quão bom/ruim está de cada país e um mapa que reflete melhor com a economia dos países. Além disso, os estudos são extremamente mais detalhados, como vocês verão a seguir.
Um último ponto, por que essa thread agora?
Eu já havia lido e conversado em sala de aula com os professores (estudo economia) sobre o Índice pois eu o acho interessante por si só, já que as vezes eu mesmo me perguntava: Eu sei que temos de melhorar, mas no quê em específico? Há de se haver cuidado em não procurar respostas fáceis também. Mas o que me moveu mesmo, foi esse comentário "A burocracia e os custos envolvidos para se ter um negócio legal são absurdamente altos criando uma barreira legal que impede pessoas em situações extremas de sair delas." É com as melhores das intenções que quero elucidar não só o que há de ser melhorado, porém destacar o que pode ser melhorado sem muita dificuldade se os políticos se empenharem. Também veremos que nem tudo cai só nas costas do governo federal, algumas cairão também no nível municipal. Peço perdão também pela demora de criar essa thread, que faz meses que estava no freezer.
Bem, vamos para os dados, para quem quiser acompanhar pelo PDF:
A partir de agora apenas usarei imagens.
Índice Geral
Vale salientar que devemos nos concentrar mais no ranking/posição do que na pontuação. De nada adianta pontuarmos 60 de 100, se há outros países com maior facilidade de fazer negócios e que com isso atrairão maior investimento estrangeiro. Posição 109 é péssima.
Por tópico
Analisarei 5 nessa primeira parte e 5 na próxima. Farei as duas partes nessa thread logo, já que já acordei e post ainda tá ativo. Não é apenas apontando os lados negativos que se faz a coisa, há de dar créditos quando fazemos algo certo também. Por mais que tenhamos péssimos pontos, fomos bons em 3 tópicos, conseguir eletricidade, proteger investidor minoritário e execução de contratos. Inclusive, de todos esses 10 tópicos que você estão vendo, apenas em 1 estamos na frente da China que é na proteção de investidor minoritário, por uma diferença de 16 posições. Em todos os outros, dá pra entender um dos motivos da China conseguir ter empresas bem sucedidas pipocando por aí, aliado a alta população.
Ah, uma coisa que esqueci de comentar, as cidades analisadas pelo ranking é o Rio de Janeiro e São Paulo, como é uma análise muito longa, é bem custosa e toma bastante tempo, então eles tem de se limitar a poucas cidades. De qualquer forma, veremos que muita coisa não varia entre as duas cidades pelo menos.
Prós: O custo é baixo comparado a média da América Latina e está na média dos países ricos, não há necessidade de alteração nisso.
Contras: Número de procedimentos e tempo levado é mais que o dobro de países ricos e na parte de número de procedimentos estamos pior que a média da América Latina. Um dos problemas nos procedimentos é fazer coisas que se fosse partilhado uma base de dados, aceleraria o processo, por exemplo, a pessoa leva 3 dias registrando na receita federal mas logo depois vai ter de pegar registro na secretaria municipal de finanças.
Uma de nossas piores posições das 10, só perdendo pra pagamento de impostos. (Spoiler: o problema não é a quantidade)
Prós: Baixo custo orçamentário, saindo mais barato até que nos países desenvolvidos, controle de qualidade daqui é bom, um pouquinho mais alto que a média da américa latina e um pouco pior que países desenvolvidos, mas não atrapalha na nota.
Contras: Pense o tempo médio da américa latina, que já não é um local tão bom assim para se começafazer negócios, agora dobre esse tempo, aumente 4 dias e você chega ao tempo que demora pra conseguir essa licença em média, 404 dias. A média em países desenvolvidos é de 153, isso anula completamente o nosso pró de ter baixo custo, pois o tempo que você está perdendo pra pegar a licença é tempo que você está deixando de ganhar dinheiro. Isso joga nossa posição lá pra baixo, qual de nossos procedimentos consome tanto tempo assim? Há alguns de 60 e 30 dias (mas lembre-se isso até seria normal numa certa quantidade, países desenvolvidos levam 150 dias). Mas UM único procedimento, conseguir aprovação de construção da prefeitura, consome 274 dias, mais do que a média da américa latina, apenas esse procedimento sozinho. Reduza-o para 2 meses e teríamos a média américa latina pelo menos. Porém boa sorte para resolver essa questão de municípios, já que deve ser uma boa forma de certas prefeituras conseguirem propinas com construtoras pagando pra acelerar o processo, etc. (Aí já estou especulando mesmo). Eu até falaria do número de procedimentos ser alto, mas sinceramente nossa nota vai tão pra baixo por conta do tempo que acho que nesse quesito nem vale a pena de reclamar da quantidade de burocracia de procedimentos. PS: No RJ é a mesma coisa que consome mais tempo, no caso, lá esse procedimento leva 365 dias.
Fico até feliz quando o Brasil faz algo certo. Essa é a nossa melhor posição, poderíamos olhar pro que fizemos de certo nessa.
Prós: Número de procedimentos em média com os países desenvolvidos, tempo melhor do que nos países desenvolvidos, custo EXTREMAMENTE mais baixo que em países da américa latina e mais baixo que em países desenvolvidos
Contras: Confiabilidade da oferta e transparência da tarifa poderia ser um pouco melhor, mas não está tão ruim assim, sinceramente há coisas pra se preocupar e essa não é uma delas no momento, o que fez perdemos nota nesse foi apenas a duração e quantidade de quedas de energia.
Dos 10 tópicos, esse é o nosso 3ª pior.
Prós: Novamente, nós temos um baixo custo, superando até os países desenvolvidos. Nosso problema de tempo não foi tão ruim assim igual no outro.
Contras: Novamente, o alto número de procedimentos, coisas que seriam muito mais fáceis se o estado como um todo tivesse uma base de dados compartilhadas (como um todo, pois algumas coisas são da justiça, outras do ministério da fazenda, outros da prefeitura, outros do estado, etc). O tempo poderia ser um pouco melhor e entrar na média dos países desenvolvidos se diminuíssem o número de procedimentos.
Um grande problema é o índice de qualidade da administração da terra, no qual dentro disso, as piores coisas que fomos são: 'Índice de cobertura da geografia'. (Página 43 quem quiser ver em detalhes) e Resolução de disputa de terras. Direito não é minha área então terei de abster de comentar isso pois tenho conhecimento 0.
Prós: Profundidade de informações em relação a crédito aqui é melhor que a média de países desenvolvidos, cobertura de registro de créditos é muito boa, bem melhor que a média de países desenvolvidos
Contras: Perdemos muita pontuação mesmo por conta do Índice de Força de Direitos Legais, mas no que em específico falhamos nesse índice? Por texto seria muito longo mencionar, vejam essa print, cada "Não" se perde um ponto, cada "Sim" se ganha um ponto, a pontuação vai de 0-12. Não precisa pontuar 12, vocês podem discordar de algumas, a média de países desenvolvidos mesmo tem uma pontuação 6. A questão é que conseguir mais uns 4 "Sim", seria de ajuda.
Analisados 5, por hoje é só, me cansei um pouco com isso e novamente eu peço perdão por não ter postado isso meses atrás, quando aquele comentário no brasil me deixou empenhado em publicar isso aqui... ACORDEI EDITAREI LOGO A PARTE 2 AQUI POIS TÁ MUITO PEQUENO ESSE POST:
Como disse, o único tópico que somos melhor do que a China
Prós: Temos uma pontuação muito boa nos Índices de 'extensão da responsabilidade do diretor', 'extensão da transparência de corporações', 'Extensão de direitos dos acionistas' e 'extensão de controle e propriedade' ao ponto que superam a média dos países desenvolvidos
Contras: Índices de 'Facilidade de ações de acionistas' e 'Extensão de divulgação' estão fracos, com o primeiro tendo uma nota pior que a média da américa latina. O motivo do segundo ter uma nota ruim é que apenas o CEO precisa aprovar uma compra e venda de empresas, deixando acionistas de fora da decisão. Na Ease of Shareholder, eu não sei explicar, coisa a ver com direito, se algum advogado ou estudante de direito quiser explicar, ficarei agradecido: A imagem dessa parte aqui A média de países desenvolvidos nisso é 7.3, então não precisam fazer uma nota 10 aí.
Chegamos neste, o pior tópico que o Brasil é.
Prós: Estou impressionado que tenhamos algum, mas olha só o número de pagamentos anuais até que é baixo.
Contras: Sim, o Brasil poderia ser menos custoso e facilitar? Poderia, mas sinceramente nossa nota não é péssima por causa disso e sim por causa desse tempo colossal, boa sorte para você pequeno empreendedor conseguir isso sem um contador. Pega o número de tempo médio na América Latina e MULTIPLICA POR 5, você ainda não chega ao tempo necessário para pagar impostos aqui no Brasil. Mas o que consome tanto tempo? Aqui Vocês tem dois procedimentos que mesmo onlines, acabam que eles por SI SÓ tem mais tempo que a média da américa latina, mas o grande vilão? Nosso ICMS, consumindo um montante de tempo 1161 horas. Isso quer dizer que uma reforma tributária que reduza esse tempo para vamos dizer 50 horas resolve nosso problema? Nope, o problema é tão grande que mesmo isso ajudando muito muito, ainda teríamos 847 horas pagando, mais que o dobro da américa latina. E sinceramente, eu não sou contador pra dizer o que poderia em si ser melhorado no IRPJ e INSS pra reduzir o tempo colossal que é consumido. O maior problema na nossa perda de nota no Postfiling Index é que não existe um processo de reembolso dos impostos (para caso ocorra algum problema na contadoria etc), yep, isso num índice de 0 a 100, não existir fez nossa nota cair muito, temos nota 7. Mas sinceramente seria um inferno pra mexer nos arquivos e ver o que é reembolsável nessa loucura de impostos que temos, talvez com uma reforma tributária se resolva tanto o tempo como o problema de não termos forma de reembolsar o imposto pago se tiver havido erro.
Prós: Eeeeeeeeer, algumas coisas estamos melhor que a média dos países da américa latina né...
Contras: O custo pela primeira vez se sobressai em relação ao tempo e se engana que seja só para importar, exportar também sofre desse problema e o que aumenta tanto ele é questões burocráticas, documentação e "Border Compliance" tanto na exportação quanto importação, que eu não sei como traduzir. O tempo poderia ser melhor? Porra como poderia, muitos países batem os recordes nesse tópico, tendo tempos e custos variando entre 1 e 0 respectivamente. Mas porra se pelo menos fosse algo como 8 e 8 ao invés de sei lá, 49 e 862, já estava ótimo. O que aumentou tanto o custo? Em algumas, o custo de transporte doméstico, acredito que é aí que peca não termos uma malha ferroviária decente. E 'Export: Port or border handling' aumentou bastante o custo e tempo, porém não entendi muito o que quer dizer então vou me abster.
Lá vai um garoto que ainda não teve a disciplina de direito econômico tentar explicar isso, peço desculpas por qualquer canelada e terei de ser mais simplista do que antes justamente pela falta de conhecimento
Prós: Nosso top 3 tópicos, eletricidade, proteger investidores minoritários e surpreendentemente algo relacionado a direito e justiça. Nossa qualidade do processo judicial e custo de execução dos contratos está melhor do que a média dos países desenvolvidos
Contras: Novamente, o tempo, um pouco melhor que a américa latina mas uma centena de dias pior que a média de países desenvolvidos. 'Trial and judgment' é o que mais consome tempo, 480 dias, a demora da justiça de sempre, o que fazer pra melhorar eu não faço ideia, não é minha área.
Prós: 'Strength of insolvency framework index' com nota melhor que a média dos países desenvolvidos e o custo tá entre a média de países da américa larina e países desenvolvidos, nem tão ruim nem tão bom.
Contras: 4 Anos pra resolver (quando resolve, pois pois pra cada 1 dólar investido, recuperamos 14 centavos ou 14% das firmas, enquanto a média em países desenvolvidos é de 70). Os motivos é uma burocracia doida que eu não sei analisar pra ser sincero, mas lembram das maiores dívidas da previdência? Muitos é de empresas grandes que já faliram, por isso as vezes é bom conseguir com que empresas consigam se recuperar. Vou deixar essa parte aqui, para quem quiser ler detalhadamente já que eu não soube analisar isso, AQUI
Bem, é isso, obrigado a todos que leram e os que comentam dando insights sobre esse grave problema nosso, que afeta micro-empreendedores, pois como meu amigo que mora num bairro distante e vem de uma família pobre, mas que a mãe dele tem um negócio de vender pamonha pra a maioria das padarias daqui de João Pessoa já me disse: "Se minha mãe tentasse regularizar tudo a gente faliria". E sinceramente, isso é uma tristeza grande, que eu espero que o Brasil possa um dia deixar apenas no passado
submitted by Pablogelo to brasil [link] [comments]

Tutorial de como o Reddit funciona [Dicas; Termos; Mecânicas; RES; Formatação de Posts/Comentários; Etc]

Primeiramente, gostaria de agradecer aos usuários rodr93 e walyssonpaiva que me incentivaram a criar este post, e aos Moderadores por apoiarem a ideia e ajudarem com a visibilidade. Se não fossem por essas pessoas eu nem me importaria em escrever tudo isso, então se algo escrito aqui lhe for útil e você se sentir grato, por favor agradeça essas pessoas também. ^-^
O Reddit está ficando mais popular no mundo todo e cada vez mais pessoas pensam em fazer parte desta grande comunidade, porém, porque o Reddit funciona de uma maneira diferente de outras mídias sociais, é comum as pessoas ficarem confusas com o formato do site e perderem o interesse. O objetivo desta Postagem é não só explicar o site para novos usuários, mas também ampliar o conhecimento daqueles que já estão familiarizados com a coisa toda mas não sabem exatamente como usar certas ferramentas, tudo de uma forma bem simples.
Aqui vai o índice. Talvez você não queira ler toooOOOoodo o Post, mas pelo menos veja se há algo que lhe chama a atenção:
Termos Importantes
Karma
Postagens & Tipos de Postagens
Formatação de Posts/Comentários
Reddit Enhancement Suite
Miscelânea
Talvez possa parecer complicado, mas não se intimide! É tudo bem simples e você também não precisa aprender tudo de uma vez. Caso ainda tenha dúvidas depois de ler este tutorial, tanto eu quanto outros usuários poderemos te auxiliar. ^-^

Termos Importantes

Existem várias "palavras-chave" que cercam o Reddit e fazem parte do que o site é e/ou como ele funciona. "Karma" e "Posts" também são termos bastante usados, mas decidi expandi-los de uma maneira melhor em suas próprias seções logo abaixo. Dito isso, vamos lá:
Subreddits ou Subs: O Reddit é formado por várias comunidades de vários tamanhos diferentes, essas comunidades são os Subreddits. Cada Sub trata de um assunto diferente, independente do que ele seja (Jogos, cantores, facebook de indianos, experimentos, etc.), cada Sub também tem suas próprias regras que devem ser seguidas (Alguns mais liberais, outros mais estritos), seu próprio "modo de ser" (Informativos, sérios, zoeiros, casuais, etc.) e são controlados por um grupo de Moderadores. Dentro de um Subreddit você vai encontrar postagens e discussões relacionadas ao tema do Sub em que estão, explicações de como aquela comunidade se comporta e talvez uma pequena wiki com mais detalhes sobre o Sub. Dentro de um Subreddit você também pode organizar a ordem das Postagens pelas mais populares, mais novas ou mais controversas, o que pode te dar vários ângulos do que está acontecendo pela comunidade (Para fazer isso apenas clique nas respectivas abas abaixo do banner principal do Sub). A lenda diz que existe um Sub para quase tudo, mas caso você descubra algo que ainda não tenha seu próprio Sub, você mesmo pode criá-lo! Vale também mencionar os "Defaults", que são os Subreddits com o maior número de inscritos (já falo melhor disso!) e tráfego, e que também são os Subs que aparecem naquela barra de links para Subreddits no topo da página.
Moderadores ou Mods: São os usuários com maior poder dentro de um Sub, que se dispõem ao papel de organizar e cuidar da sua (ou suas, se for mais de uma) comunidade e fazem com que ela não saia dos trilhos. Todo Subreddit tem pelo menos um Moderador, e quanto maior um Sub fica, geralmente mais Mods são necessários para manter a ordem. Mods podem criar e modificar (se necessário) as regras de um Sub; Cuidam do spam e Postagens inapropriadas; Podem mudar o design do Sub; Podem advertir ou banir usuários; Trancar postagens; Etc. É possível entrar em contato com os Moderadores através do Modmail, que geralmente pode ser acessado clicando em um botão dizendo "message the moderators", localizado na sidebar (Nome dado à coluna localizada na direita dos Subs). Moderadores também podem fazer dois tipos de comentários, um normal (Igual a todos usuários) e um "oficial" (Que representam um pensamento compartilhado entre os Mods)... Os comentários oficiais são aqueles onde o nome do moderador é envolvido por uma "etiqueta" verde e tem um "[M]" do lado. Também vale a pena mencionar o AutoModerator, que é um bot configurado pelos Mods para fazer o trabalho deles ficar um pouco mais fácil, automaticamente realizando certas ações como deletar certos tipos de postagens e outras coisas mais simples... Alguns Moderadores também usam o AutoModerator para fazer algumas brincadeiras, mas aí vai de Sub pra Sub.
Admins: São as pessoas que trabalham no Reddit (tanto o site quanto a empresa), e também são uma espécie de "Super Moderadores". Eles monitoram o site, introduzem mecânicas novas quando possível, consertam bugs e fazem anúncios para explicar mudanças que afetam o site como um todo. Admins tem poder absoluto sobre o site e podem atuar diretamente em Subreddits se for realmente necessário, mas eles geralmente mantêm distância e preferem dar uma certa autonomia aos Subs. Se problemas mais sérios aparecem e usuários ou Mods não conseguem resolve-los, os Admins podem ser contatados através do "Contact Us" no rodapé da página para tentar ajeitar as coisas. Assim como Moderadores, Admins também podem fazer comentários "normais" e "oficiais", a diferença é que os comentários oficiais dos Admins tem o seu nome de usuário coberto por uma "etiqueta" vermelha e um "[A]" aparece do lado.
Reddiquette ou Redditiqueta: É basicamente o "Manual de Boas Maneiras" do Reddit criado pelos próprios usuários, contendo informações do que fazer e o que evitar. Aqui está a versão em PT-BR. Você não é obrigado a seguir ela ao pé da letra, mas vários Subs e o próprio Reddit incentivam os usuários a segui-la de alguma forma, já que ela ajuda a criar uma experiencia bem mais interessante, amigável e harmônica não só para o site, mas também para os outros usuários. A Redditiqueta também é, de certa forma, uma extensão das regras oficiais do Reddit que DEVEM ser seguidas em qualquer situação. No final das contas, a mensagem da Redditiqueta é bem simples e clara - Tenha bom senso e não seja uma pessoa desagradável.
Upvotes & Downvotes: Uma das características principais do Reddit é como os usuários podem dizer se acham uma Postagem ou comentário interessante ou não através de um sistema de votação... É aí que os Upvotes/Downvotes entram em cena. Quando você vê uma Postagem ou comentário, você também pode observar duas setas à esquerda do mesmo - Uma apontada para cima (Upvote), outra para baixo (Downvote). Dar um Upvote (isto é, clicar na seta para cima) quer dizer que você acha aquele conteúdo interessante ou de boa qualidade, enquanto que dar um Downvote (clicar na seta para baixo) diz que aquele conteúdo é irrelevante ou de baixa qualidade. Postagens/Comentários com mais Upvotes recebem mais visibilidade, ficando nas Front Pages (já falo disso também!) de um Sub por mais tempo (Para Posts) ou sendo colocados acima de outros comentários (Para comentários). Posts/Comentários com muitos Downvotes recebem menos visibilidade, sendo "enterrados" por outros posts com mais Upvotes (Para Posts) ou ficando bem embaixo de outros comentários com mais Upvotes (Para comentários). Muitas pessoas dão Upvotes e Downvotes baseados no seus gostos pessoais ao invés da qualidade do conteúdo produzido, o que é contra a Redditiqueta e, em geral, um péssimo costume que só diminui a variedade e qualidade das discussões e conteúdo... Então por favor, evite fazer isso. Upvotes/Downvotes também estão relacionados ao "Karma", mas nós falamos disso depois!
Reddit Gold: Caso veja uma Postagem ou comentário que goste bastante, você pode dar um "Reddit Gold" (Ouro do Reddit) para o conteúdo e o usuário que o produziu clicando em "Give Gold" logo abaixo do conteúdo em si. O Reddit Gold é comprado com dinheiro de verdade e, para falar a verdade, não tem muitos usos, sendo apenas uma maneira de poder ajudar o Reddit a pagar seus servidores (e talvez outras coisas do tipo). Apesar de ninguém ser obrigado a compradar Ouro, o Reddit curiosamente tem uma "Meta Diária de Ouro" que pode ser vista no all. Até onde eu sei, um usuário que recebe Ouro pode desativar os anúncios do site, criar o seu próprio Snoo (Nome do mascote/alien do Reddit) customizado e filtrar certas Postagens do all. Vale dizer que os benefícios do Ouro só duram por tempo determinado, dependendo de quanto você comprou ou conseguiu. Postagens ou comentários que recebem Ouro tem uma pequena moeda dourada perto do nome do usuário.
all: É um Subreddit especial, sem moderação, que pode ser facilmente acessado por um link na barra de Subs no topo da página. Por padrão ele mostra as Postagens mais populares de TODOS os Subs existentes naquele exato momento, mas, igual à Subs normais, você também pode classificar as Postagens para ver as mais controversas, mais novas, etc. Se estiver curioso(a), você também pode ver quais são as Postagens do Reddit que receberam mais Upvotes em todos os tempos... Apenas clique em "no topo" e escolha "de todos os tempos" na parte da esquerda (Isso funciona para qualquer Sub, na verdade).
Front Page & Inscrições: Front Page ("Página principal", não literalmente) pode significar duas coisas - Front Page de um Subreddit ou Front Page do Reddit, depende do contexto. A Front Page de um Sub é aquela que aparece quando você entra em um Sub, mostrando as Postagens mais populares. A Front Page do Reddit é aquela que aparece quando você entra em reddit.com ou clica no "FRONT" na barra de Subs no topo da página, mostrando as Postagens mais populares apenas dos Subs em que você está inscrito, além de dizer quais Subs estão em tendência no dia... Ou seja, a Front Page do Reddit é quase que um Subreddit personalizado. Explicando melhor... Quando você entra no Reddit pela primeira vez, ele automaticamente te inscreve nos Defaults (mencionados acima). A partir do momento em que você cria uma conta, também ganha a habilidade de se inscrever ou desinscrever de Subreddits clicando nos botões "Subscribe" ou "Unsubscribe" respectivamente, localizados na sidebar dos Subs. Se você se desinscrever de todos os Subs que o Reddit te inscreve e se inscrever apenas naqueles que te interessam, você pode transformar a Front Page do Reddit no seu próprio Subreddit customizado, formado apenas pela junção do conteúdo que você mais gosta. Para saber exatamente em quais Subreddits você está inscrito, apenas clique em "MY SUBREDDITS" na barra de Subs.

Karma

"Karma" é um sistema de pontuação usado no Reddit. Todo usuário tem a sua pontuação, e ela pode ser vista tanto no perfil de alguém (Seja o Karma dos outros ou o seu) quanto ao lado do envelope no topo da página onde você vê suas mensagens recebidas (Seu Karma). O Karma não serve para nada, sendo apenas usado pelo Reddit como uma forma de incentivar os usuários a criarem conteúdo. Existem dois tipos de Karma - De Postagens e de comentários, mas achei melhor também falar de duas coisas relacionadas:
Karma de Postagens: É o total da sua pontuação por Postagens. Quando uma Postagem criada por você ganha um Upvote, seu Karma de Postagens sobe em um ponto... Downvotes recebidos tem um efeito inverso, diminuindo um ponto do total. Isso vale tanto para Postagens em links ou em texto (Já comento melhor sobre isso!). Vale falar que o Karma de Postagens nunca tem um valor abaixo de zero, independente do número de Downvotes que suas Postagens receberem.
Karma de Comentários: É o total da sua pontuação por comentários. Quando um comentário criado por você ganha um Upvote, seu Karma de comentários sobe em um ponto... Downvotes fazem o contrário, igual ao Karma por Postagens. É importante dizer que, ao contrário da pontuação por Postagens, a pontuação por comentários PODE ter um valor negativo (abaixo de zero) caso você receba muitos Downvotes pelos seus comentários. Usuários com um Karma de comentários muito abaixo de zero geralmente não são vistos sob uma luz positiva (Podem ser considerados trolls, spammers, etc.), e vários Subs tem configurações especiais que automaticamente apagam Postagens e/ou comentários feitos por usuários que estão nessa situação.
Karma Breakdown: É apenas uma ferramenta do Reddit que deixa os usuários verem exatamente a distribuição de Karma ganho (Seja de Postagens ou comentários) entre os vários Subreddits que foram interagidos. Para vê-lo, apenas vá no seu perfil e clique em "show karma breakdown by subreddit", localizado à direita.
Karma Falso: O Reddit usa um algoritmo que ajuda conteúdos novos (Postagens principalmente) a terem mais visibilidade e tomarem o lugar de conteúdos que já ficaram com boa exposição por algum tempo. Um dos efeitos desse algoritmo é seus comentários ou Postagens receberem alguns Upvotes e Downvotes que não mudam a pontuação do seu Karma. Isso não é nada de mais, na verdade... Apenas pode parecer bizarro se você não souber o que está acontecendo. De qualquer forma, você pode usar o Karma Breakdown para ter uma ideia mais exata dos detalhes da sua pontuação.

Postagens & Tipos de Postagens

"Postagens" ou "Posts" são a principal forma de criação e compartilhamento de conteúdo no Reddit... Isto que você está lendo é um Post! Você pode criar uma Postagem através de botões na sidebar de um Subreddit, mas é importante falar que os títulos dos Posts NÃO podem ser editados por ninguém (Nem Mods ou Admins), então tome cuidado. Existem dois tipos principais de Posts - Links ou em texto, mas também vou falar de outras variações e termos associados:
Posts de Links: São Posts que são apenas um link para um conteúdo externo, como vídeos, imagens, notícias ou artigos de outros sites, etc. Posts de Links não podem ser acompanhados por um corpo de texto (Como uma descrição, por exemplo), sendo apenas formados pela URL que o link deve te levar e o título que você dá ao Post.
Posts em Texto: São Posts compostos apenas por um corpo de texto (Além de um título, claro), como este aqui que você está lendo! Tecnicamente, você pode fazer um Post em Texto que contém um link para alguma coisa, mas mesmo assim ele ainda será considerado um Post em Texto, já que é a habilidade de poder digitar um corpo de texto que faz com que esse tipo de Post seja o que ele é.
Posts Editados: Para saber se um Post (comentários também, na verdade) foi editado, veja se um * (Asterisco) aparece em algum lugar à esquerda do nome do usuário que fez o Post (ou à direita, para comentários). Se você colocar a seta do mouse sobre o asterisco, também poderá ver quando exatamente aconteceu aquela edição. A Redditiqueta também pede que, se possível, o usuário faça uma pequena nota de rodapé explicando o que exatamente foi editado (para evitar mal-entendidos) ao se editar algum conteúdo, mas não é uma necessidade.
Repostagens ou Reposts: Quando você posta algo que já foi postado por alguém no passado (Conscientemente ou não), você está fazendo um Repost. Você não está cometendo nenhum crime ao realizar um Repost, mas vários Subs e o próprio Reddit incentivam e preferem a criação e compartilhação de conteúdo original. Para saber se um conteúdo já foi compartilhado antes, você pode tentar usar a Barra de Pesquisa presente na sidebar de todos os Subs... Apesar de que ela não é lá essas coisas...
X-Posts ou Crossposts: Um X-Post é uma Postagem que é compartilhada em outro Sub porque um usuário achou que ela também era relevante para aquela outra comunidade. Explicando melhor... Um usuário originalmente faz um Post no "Sub X", outro usuário vê aquele Post e acredita que ele também seria relevante para o "Sub Y", então ele pode fazer o mesmo Post no "Sub Y" dizendo que é um X-Post originado do "Sub X". Para dizer que seu Post é um X-Post, apenas adicione "[X-post de nome-do-sub]" em algum lugar do título ou corpo do Post.
Stickied Posts ou Stickys: Moderadores tem a habilidade de fazer até dois Posts ficarem "pregados" no topo de todos os outros Posts na Front Page dos Subs (Independente de Upvotes e outras coisas), esses são os Stickys. Eles geralmente são usados para recados ou notas mais importantes, como avisar sobre novos eventos, mudanças de regras, etc. Mas podem ser usados para qualquer coisa, mesmo. Qualquer Post pode virar um Sticky, seja ele feito por um Mod ou um usuário comum. Vale dizer também que Mods também podem fazer Sticky Comments, que são comentários que ficam pregados no topo de outros comentários em uma discussão, e geralmente são feitos para explicar algo sobre o Post em que foram feitos.
Salvar Posts: Se ver um Post (Comentários também) que achou interessante, você tem a opção de poder salvá-lo para usá-lo de alguma forma no futuro. Para fazer isso, apenas clique em "Salvar" logo abaixo do Post (ou comentário) que deseja guardar. Para acessar seus conteúdos salvos, apenas vá ao seu perfil e clique na aba "Saved".

Formatação de Posts/Comentários

O Reddit usa um sistema de formatação de Posts/comentários bem incomum (Pelo menos na minha experiência), e pode ser difícil tanto para usuários novos quanto aqueles mais experientes saber como digitar uma mensagem da forma desejada ou o que exatamente pode ou não pode ser feito. Eu não pretendo explicar todos os "truques" de formatação usados pelo Reddit, mas sim só a maioria deles. Se desejar ver um guia completo, veja o incrivelmente útil Reddit Markdown Primer criado pelo usuário AnteChronos. Se quiser, use os comentários deste Post para experimentar um pouco com a formatação. Certo! Vamos lá então, nem é tão difícil assim:
Quebra de Linha: Para criar uma nova linha, apenas aperte a tecla "Espaço" 2 (duas) vezes e depois aperte a tecla "Enter" ao terminar de escrever o que quer. Isso vai fazer com que você crie uma linha imediatamente abaixo daquela você estava escrevendo... Ficando desse jeito aqui. :)
Novo Parágrafo: Para criar um novo parágrafo, você deve apertar a tecla "Espaço" 2 (Duas) vezes e depois apertar a tecla "Enter" em uma linha que não tenha NADA digitado. Ou seja, primeiro você cria uma linha nova usando a "Quebra de Linha" e depois cria NOVAMENTE uma nova linha usando o MESMO processo. O resultado...
... É esse pequeno espaço acima que divide os parágrafos.
Fonte em Itálico: Para fazer algo ficar em Itálico, apenas coloque um * (Asterisco) imediatamente antes e depois de onde quiser que o efeito aconteça. Por exemplo, se eu digitar *Esta parte está em itálico,* mas esta não! o resultado vai ser...
Esta parte está em itálico, mas esta não!
Fonte em Negrito: Para fazer algo ficar em Negrito, apenas coloque dois * (Asteriscos) imediatamente antes e depois de onde quiser que o efeito aconteça. Por exemplo, se eu digitar **Esta parte está em negrito,** mas esta não! o resultado vai ser...
Esta parte está em negrito, mas esta não!
Fonte em Negrito-Itálico: Para fazer algo ficar em Negrito-Itálico, apenas coloque três * (Asteriscos) imediatamente antes e depois de onde quiser que o efeito aconteça. Por exemplo, se eu digitar ***Esta parte está em negrito-itálico,*** mas esta não! o resultado vai ser...
Esta parte está em negrito-itálico, mas esta não!
Texto Tachado: Para fazer algo ficar Tachado, apenas coloque dois ~ (Tils) imediatamente antes e depois de onde quiser que o efeito aconteça. Por exemplo, se eu digitar ~~Texto tachado~~ e texto limpo! o resultado vai ser...
Texto tachado e texto limpo!
Superscript: Antes de tudo, isso aqui é um Superscript. Para fazer algo "ficar" em Superscript, apenas adicione um ^ (Acento circunflexo) imediatamente antes da palavra que o efeito deve acontecer. Ou seja, ^exemplo vira exemplo . O efeito do Superscript só funciona na palavra em que o ^ está "grudado", então para fazer uma frase inteira ficar com o efeito digite...
^(Frase com Superscript vai aqui!) , que vira Frase com Superscript vai aqui!
Você também pode aumentar o "efeito" do Superscript se colocar mais ^ juntos, mas se quiser fazer uma frase inteira com Superscript intensificado, vai ter que colocar o mesmo número de ^ antes de cada palavra, como visto à seguir...
^^^^^^^^^Frase ^^^^^^^^^bem ^^^^^^^^^pequena! vira Frase bem pequena!
O Superscript intensificado também pode deformar um pouco o corpo do texto, mas não é nada de mais.
Links em Texto: Ao invés de colar uma URL de qualquer jeito, você pode incorporar ela dentro de um texto, como esse exemplo aqui que te leva a Front Page do Reddit. A fórmula para se fazer isso é digitar...
[Texto que vai virar link](URL de um site)
Se quiser a amostra de como eu criei o meu exemplo ali atrás...
[como esse exemplo aqui](https://www.reddit.com/)
Menções: Existe uma maneira bem fácil de se mencionalinkar usuários e Subreddits sem fazer todo aquele negócio de abrir colchetes e parênteses. Para fazer isso, digite nome-do-usuário ou u/nome-do-usuário para mencionar um usuário, e /nome-do-subreddit ou nome-do-subreddit para mencionar Subs. Por exemplo, se você quisesse me mencionar ou mencionar o Sub em que estamos, você apenas digitaria u/Y-Ookami ou brasil. Exatamente do jeito que você esta vendo, mesmo. Vale dizer que quando um usuário é mencionado, ele recebe uma mensagem o avisando da menção.
Citações: Para fazer uma citação de algo que foi dito por alguém, apenas coloque um > ("Maior que") imediatamente no começo de uma NOVA linha que foi criada. Por exemplo, uma nova linha começando com >Citação exemplo! viraria...
Citação exemplo!
Lembre-se de que se a sua citação tiver mais de um parágrafo, você terá que colocar outros > no começo desses outros parágrafos. Você também pode colocar citações dentro de citações... Apenas coloque dois ou mais > nas partes que são assim. Depois de fazer uma citação dentro de uma citação, você terá que criar um novo parágrafo, caso contrário o Reddit pode achar que a nova linha faz parte da citação dentro da citação. Veja o exemplo...
Linha Normal. >Citação principal! >>Citação dentro de citação! >Citação principal! Linha Normal. 
Vira...
Linha Normal.
Citação principal!
Citação dentro de citação!
Citação principal!
Linha Normal.
Uma outra maneira mais simples de se fazer Citações é selecionar um texto com o mouse e então clicar no botão "responder". O Reddit transformará o texto selecionado em uma Citação automaticamente.
Cabeçalhos: Cabeçalhos são essas letras gigantes que eu estou usando para dividir este Post. Para fazer um Cabeçalho, apenas crie uma nova linha e adicione um, dois, três, quatro, cinco ou seis # (Jogo da velha) imediatamente no começo da linha, dependendo do estilo de Cabeçalho que você quer. A fórmula é #Texto do Cabeçalho. Aqui vai a diferença entre os estilos...

1 Jogo da Velha

2 Jogos da Velha

3 Jogos da Velha

4 Jogos da Velha

5 Jogos da Velha
6 Jogos da Velha
Você também pode usar estilo Negrito, Itálico, etc. Nos Cabeçalhos.
Listas: Para criar um Item de uma Lista (tipo aqueles que eu fiz no índice deste Post), apenas crie um novo Parágrafo, adicione um - (Traço) imediatamente no começo dele e aperte a tecla "Espaço" 1 (Uma) vez. A fórmula é - Texto que vai ser listado. Cada item da lista deve ser digitado na sua própria linha, e claro, todo item também deve começar com seu próprio - e um "Espaço". Quando terminar de fazer sua lista, você terá que criar outro parágrafo para voltar a escrever da forma normal, caso contrário o Reddit vai achar que você está querendo criar uma nova linha PARA o item que você está escrevendo. Veja o exemplo...
Linha Normal! - Item 1, Linha 1 - Item 2, Linha 1 Item 2, Linha 2 - Item 3, Linha 1 Linha Normal! 
Vira...
Linha Normal!
Linha Normal!
Linha Horizontal: Para criar uma Linha Horizontal igual aquela no começo deste Post, apenas crie uma nova linha, adicione 5 * (Cinco asteriscos) juntos e depois crie uma NOVA linha novamente. Você também pode colocar a Linha Horizontal no seu próprio Parágrafo, o que vai fazer com que o texto escrito não fique tão próximo da Linha Horizontal. Veja o exemplo...
Linha Normal! ***** Linha Normal! 
Vira...
Linha Normal!
Linha Normal!
Código Embutido: São essas caixinhas aqui. Nenhuma regra de formatação se aplica à algo digitado em Código Embutido. Para fazer um Código Embutido, apenas adicione um ` (Acento grave) imediatamente antes e depois do texto que desejar aplicar o efeito. Por exemplo, se eu digitar `Texto em Código Embutido!` , o resultado vai ser...
Texto em Código Embutido!
Se você criar um texto em Código Embutido muito grande, ele vai continuar indo além do limite do tamanho fixo das linhas, e uma barra de rolagem horizontal vai aparecer abaixo do texto para você poder lê-lo. Para criar um "bloco" de Código Embutido, você precisa apertar a tecla "Espaço" 4 (Quatro) vezes no começo de uma nova linha, fazendo o mesmo processo para todas as outras linhas dentro do "bloco". NÃO SE USA os ` (Acentos graves) neste caso e Quebras de Linha funcionam. Veja o exemplo...
[Espaço 4 vezes]Bloco de Código Embutido, Parágrafo 1.[Espaço 2 vezes, Enter] [Espaço 4 vezes] [Espaço 4 vezes]Bloco de Código Embutido, Parágrafo 2.[Espaço 2 vezes, Enter]
Vira...
Bloco de Código Embutido, Parágrafo 1. Bloco de Código Embutido, Parágrafo 2. 
Cancelando Caracteres Especiais: Se quiser dizer para o Reddit que deseja usar um dos caracteres que são usados para formatar texto da maneira comum, apenas adicione um \ (Barra invertida) imediatamente antes do caractere (O \ também está incluso nessa regra). Por exemplo...
O smile ^-^ sem o \ aparece como -^ (O Reddit interpreta o primeiro ^ como Superscript). Digitando \^-^ resulta em ^-^ , que é o normal.
"Emojis" Especiais: Alguns Subs fazem alterações no design que possibilitam a presença de "Emojis" no texto (Você tem que descobrir quais Subs são esses). Para "ativar" essas figurinhas, digite [](/#nome-do-emoji) . O brasil usa os seguintes Emojis (Que devem ser digitados exatamente do jeito que estão):
  • rennan
  • lula
  • aecio
  • dilma
  • cunha
  • moro
  • dollynho
  • bolsonaro
  • eduardojorge
Vamos ver um exemplo. Se eu digitar [](/#dollynho) , vai aparecer... Seu amiguinho! Vale dizer que Emojis funcionam APENAS em comentários. Créditos ao Mod Stannis-Baratheon por me ensinar como ativar os Emojis do Sub! :D

Reddit Enhancement Suite

"Reddit Enhancement Suite" ou "RES" é um complemento que tem o objetivo de melhorar a sua experiência com o Reddit, adicionando opções que podem ser bem úteis. Você NÃO é obrigado a usá-lo, mas na minha modesta opinião vale muito a pena instala-lo. Você pode facilmente baixar e instalar o RES indo neste site aqui e escolhendo a versão para o navegador que você usa. Depois de instalado, venha ao Reddit... Você vai perceber uma "rodinha" do lado do envelope onde você vê suas mensagens. Coloque a seta do mouse em cima dessa "roda" e um pop-up vai aparecer. Clique em "RES Settings Console" e uma janela vai aparecer contendo várias opções para várias coisas. Apenas clique no que você quer ou não quer até se sentir confortável! Algumas coisas úteis que o RES proporciona são:
Prévia de Posts/Comentários: Quando você for digitar um texto, o RES mostra uma outra janela mostrando como o Post vai ficar no final, fazendo você ter certeza se está tudo digitado da maneira que você realmente quer. Isso foi incrivelmente útil para a construção deste Post, na verdade! Vale dizer que tem algumas coisas que a prévia do RES não mostra, como os Emojis (Ou seja, coisas que "naturalmente" não são do Reddit em si).
Ver Links Sem Entrar Neles: Quando você instala o RES, um pequeno botão aparece ao lado de Posts e alguns Links. Se você clicar nesses botões, o Post/Link vai se abrir ali mesmo, mostrando o conteúdo sem ter que carregar uma nova página.
Marcar Usuários: Ao instalar o RES, um pequeno desenho parecendo uma etiquetinha vai aparecer ao lado dos nomes dos usuários. Se você clicar nesse desenho, um pop-up vai aparecer e você poderá criar uma etiqueta contendo um título, que sempre irá aparecer apenas para você quando ver um comentário/Post criado por aquela pessoa. É bem útil caso queira se lembrar de alguém por algum motivo.
filteReddit: O "filteReddit" é uma ferramenta do RES que deixa você filtrar Posts de certos Subreddits no all, o que pode ser bem útil caso existam Posts de certos Subs por lá que te incomodam de alguma forma. A opção do filteReddit está na parte de "Submissions" do Console do RES... Apenas cole o nome do Sub indesejado na parte de "subreddits" e salve.
Barra de Subs Customizada: Ao instalar o RES, o botão "+Shortcut" aparece ao lado do botão "Subscribe" na sidebar de todos Subs. Ao clicar nele, todos os links para os Defaults na barra de Subs desaparecem e um link para o Sub onde você clicou no botão aparece no lugar. Clique nos botões "+Shortcut" dos Subs que você mais gosta e monte sua própria barra! Você também pode mudar a ordem dos Subs apresentados na barra do mesmo jeito que você move um arquivo de computador.
Botão "Source": Embaixo de todo Post/comentário você irá ver um botão chamado "Source". Ele permite que você veja a forma "bruta" do Post/comentário digitado e como ele foi construído. Pode ser bem útil se você quiser descobrir como um usuário criou algo.
Easter Egg: Dizem que se você digitar o Código da Konami em qualquer Sub, algo acontece... E dizem que o resultado pode ser diferente dependendo do Sub... Mas isto é um segredo para todos!!! (ò.ó )

Miscelânea

Resolvi colocar aqui outras coisinhas pequenas que talvez possam te ajudar de alguma forma.
Acrônimos: Vários usuários frequentemente usam acrônimos pelo site como se fossem gírias, então é uma boa ideia entender o que eles significam. Eu vou explicar apenas os mais populares, mas você pode ver uma versão mais completa no FAQ do Reddit:
  • OP - "Original Poster" ou "Postador Original". É a pessoa que criou o Post onde a discussão está acontecendo. Quando um OP comenta no seu próprio Post, seu nome de usuário é envolvido por uma "etiqueta" azul e um "[S]" aparece do lado do nome.
  • PSA - "Public Service Announcement" ou "Anúncio de Utilidade Pública". Um tipo de Post que tem a intenção de compartilhar algo que pode ser útil para todos.
  • AMA - "Ask Me Anything" ou "Pergunte-me Qualquer Coisa". Um tipo de Post (E as vezes comentário) onde um usuário se dispõe a responder perguntas feitas a ele sobre qualquer coisa ou um assunto em particular. Existe um Sub dedicado a AMAs de diversas pessoas e até famosos, o IAmA.
  • NSFW - "Not Safe For Work" ou "Não Seguro Para o Trabalho". Posts geralmente com conteúdo sexual ou algo relacionado.
  • NSFL - "Not Safe For Life" ou "Não Seguro Para a Vida". Posts geralmente com conteúdo mais delicado, chocante, grotesco ou algo do tipo.
  • TIL - "Today I Learned" ou "Hoje Eu Aprendi". Significa que o usuário descobriu algo novo.
  • ELI5 - "Explain Like I'm 5" ou "Explique Como se Eu Tivesse 5 (Anos)". Posts (ou comentários) onde um usuário pede que algo seja explicado de uma maneira bem simplificada.
  • ITT - "In This Thread" ou "Neste Tópico". Usado quando um usuário quer apontar algo que está acontecendo nos comentários de um Post.
  • IMO - "In My Opinion" ou "Na Minha Opinião". Usado quando um usuário quer expressar sua opinião sem parecer "autoritário" ou algo do tipo. Também existe o "IMHO", que significa "Na Minha Humilde/Honesta/Modesta Opinião".
  • IIRC - "If I Recall Correctly" ou "Se Me Lembro Bem". Usado quando um usuário não tem muita certeza sobre detalhes de um certo fato ocorrido.
  • MRW/MFW - "My Reaction/Face When" ou "Minha Reação/Face Quando". Expressão de teor cômico geralmente acompanhada de um Gif ou Imagem que "representa" como o usuário está se sentindo no momento.
  • FTFY - "Fixed That For You" ou "Corrigi Isso Para Você". Expressão geralmente acompanhada de uma citação, com o objetivo de arrumar um erro no Post/comentário de outro usuário. Também pode ser usado de maneira sarcástica como uma brincadeira.
  • AFAIK - "As Far As I Know" ou "Até Onde Eu Sei". Usado para expressar que seu conhecimento sobre um assunto só vai até um certo ponto.
  • TL;DR - "Too Long;Didn't Read" ou "Muito Longo;Nem Li". Expressão que uma pessoa utiliza para dizer que não leu o Post/comentário porque era muito longo. De certa forma, é comum alguns usuários fazerem versões super resumidas de seus Posts/comentários ao final dos mesmos se eles forem muito longos, mas não é uma regra... Eu me pergunto quantas pessoas se sentiram assim ao ver este Post...
  • /s - "/sarcasm" ou "/sarcasmo". Usado ao final de um texto digitado para dizer que o que foi escrito não deve ser levado a sério.
Permalinks: Se quiser, pode criar um link para um comentário específico feito no Reddit. Abaixo de todo comentário existe um botão chamado "Permalink", ao clicar nele você irá para uma página onde aquele comentário está destacado. Apenas copie a URL desta página e use-a como achar melhor.
Reportar Postagens: Se você ver um Post/comentário que viola as regras de um Sub, você pode reportar ele aos Moderadores. Abaixo de todo Post/comentário existe um botão chamado "denunciar", apenas clique nele e depois diga de que forma aquele conteúdo viola as regras do Subreddit em que você está.
Meta: Quando você vê a palavra "Meta" sendo usada em um Subreddit, ela se refere ao próprio Subreddit em si... Isto é, refere-se a um assunto relacionado ao próprio Subreddit ao invés do assunto que o Sub aborda. Isso que "Meta" significa - Referir-se a si mesmo.
Flairs: Flairs podem ser duas coisas - Uma etiqueta que serve para classificar um Post dentro de Sub e dizer sobre o que ele se trata, ou uma etiqueta que aparece ao lado do seu nome de usuário contendo um texto pré-digitado ou personalizado, que aparecerá para todos toda vez que você Postacomentar naquele Sub específico. Para colocar uma Flair em um Post, veja se o botão "Flair" aparece logo abaixo do Post após sua criação... Clique nele e escolha a opção que mais se encaixa com o sua Postagem. Para colocar uma Flair do lado do seu nome de usuário, veja se existe um botão para isso em algum local da sidebar. Nem todos Subs usam Flairs, ou podem apenas utilizar um dos dois tipos.
Multis: São compilações de Subredits sobre um determinado assunto. Quando você estiver na Front Page do Reddit ou no all, clique na coluna fininha da esquerda e clique em "explore multis"... Você irá parar em um lugar cheio de Multis de diversos temas e poderá explorá-los melhor.
Subreddits Privados: São Subreddits que só podem ser visualizados se você enviar uma mensagem para os Moderadores e eles te aceitarem, mostrando apenas uma imagem de uma chave junto de uma mensagem caso você não seja um membro. O motivo que faz um Subreddit ficar privado muda de Sub Privado para Sub Privado.
Karma Whoring: Apesar do Karma não servir para nada, algumas pessoas o levam a sério e fazem de tudo para ganhar o máximo de Upvotes possível, geralmente focando na criação de vários Posts de baixa qualidade que apelam para as opiniões e gostos mais populares. Essas pessoas são referidas pejorativamente como "Karma Whores" (Prostitutas de Karma).
Circlejerk: É um termo pejorativo usado para quando um grupo de pessoas preservam opiniões sobre um determinado assunto por motivos bastante rasos, enaltecem as opiniões uns dos outros e não suportam ver alguém discordando deles, geralmente ignorando de alguma forma os argumentos recebidos. Muitas pessoas veem usuários compartilhando uma opinião e automaticamente já assumem que é um Circlejerk como uma forma de diminuir aquela opinião, mas se o usuário tem motivos realistas para segurar uma determinada opinião e está disposto a discutir sobre ela de forma sensata, então não é um Circlejerk. Também existem Subreddits "dedicados" ao Circlejerk de um certo tema, mas eles geralmente agem como uma paródia do Subreddit que discute o mesmo tema da maneira "normal", sendo apenas uma grande brincadeira... Porém, também existem Subs de Circlejerk que "se perdem" e acabam realmente virando um lugar que não atura opiniões contrárias e são um misto de paródia e hostilidade.
Shitposts: Palavra usada para descrever Posts de baixa qualidade. O termo "Shitpost" (Post de Merda) na verdade está mais relacionado com Posts que agem como "pegadinhas", contendo um título bastante chamativo mas com uma imagem, vídeo ou texto que fala de algo completamente diferente, apenas fazendo uma piada ou brincadeira. Muitos Subs não toleram essas "pegadinhas" e Posts do tipo podem ser facilmente deletados, mas às vezes eles "escapam". Subs de Circlejerk são formados principalmente por Shitposts.

Coloquei outras informações nos comentários.

... E só... Caso eu tenha explicado algo de uma forma errada, por favor me corrija. Eu realmente espero que este Post seja útil de alguma forma. Depois de ler isto aqui você provavelmente já poderá experimentar o Reddit de uma forma bem melhor, então não tenha medo e explore o oceano de conteúdo que este site tem para oferecer! :D
Ah! Feliz Dia das Bruxas!
~ Y-Ookami. ^(^o^)^
submitted by Y-Ookami to brasil [link] [comments]

Clube do livro - Malcom X e o código dos homens

Clube do livro - Malcom X e o código dos homens
Antes da gente conversar, vamos para alguns avisos:
  • Eu sei que eu demorei muuuuito para poder fazer a resenha desse livro, mas é que eu tive alguns dias bem pra baixo, então não tava querendo ler era nada.
  • Eu não vou falar sobre discussões raciais nessa resenha. Não me julgo capaz e com conhecimento o suficiente para me posicionar a respeito, e além disso, esse não é o intuito dessa serie.
  • Eu não sei DE NADA. Eu só li o livro e vou aqui falar das minhas experiências com ele, juntando com a minha visão de mundo. Se eu cometer algum erro aqui, ou você não concorda com algo que eu falei, conversa comigo! Eu estou sempre aberto a discussões maneiras sobre diferentes pontos de vista, até por que a gente está aqui para poder aprender mais sobre nós mesmos.
  • Obviamente alguns SPOILERS A FRENTE!!
----------------------------------------------------------
Então vamos lá?
Eu preciso confessar que a leitura desse livro foi meio mista pra mim. Eu que sai da faculdade a pouco, estava acostumado a livros muito densos falando sobre conceitos que eu tinha que ler o parágrafo varias e varias vezes até entender o que diabos o autor estava querendo falar, então quando comecei a ler, me aliviei quando me pegava lendo por horas a fio sem problemas. O que não quer dizer que eu tenha gostado da escrita do livro. Eu achei leitura fluida especialmente no início, quando ele fala da infância e adolescência em NY, a parte da ida a Meca no final foi muito bacana também, mas lá para o meio do livro, ele começa a citar os sermões do Muhammad e também algumas coisas que ele mesmo falava e depois de um certo tempo tudo fica meio repetitivo.
Mas o que eu tirei do livro, tentando investigar a masculinidade contida nele foi uma lição sobre masculinidade tóxica e os papeis de masculinidade que aprendemos durante a vida. Malcom se espelhava nos homens ao seu redor, e a visão que era passada, era de uma masculinidade com poucas conexões com suas emoções.
Uma cena interessante é quando West Indian Archie (O homem com o qual Malcom apostava) apareceu em sua porta para pedir o dinheiro de uma aposta que Malcom havia feito de volta, por que ele (Archie) acreditava que havia tido um erro nos números. Conforme o próprio Malcom fala, nesse ponto o dinheiro não era mais o problema. O problema era que a atitude de Archie agora tinha o colocado numa espécie de obrigação para com os outros homens de provar sua honra, por que ninguém ali queria ser conhecido por ter sido feito de bobo por outro homem. E o único jeito de solucionar esse impasse era a morte de um dos dois.
Esse tipo de código dos homens, no qual a violência é regra para resolver os dilemas só é quebrado para Malcom, quando Bimbi, um outro prisioneiro lhe mostra uma outra solução.
'What fascinated me with him the most of all was that he was the first man I had ever seen command total respect... With his words." - posição 3092 (versão kindle).
"O que mais me fascinava sobre ele era que ele foi o primeiro homem que eu havia visto comandar total respeito... Com suas palavras." - tradução livre.
A partir deste momento, e também de sua iniciação na nação do islã, Malcom, começa a ver um tipo de masculinidade diferente. Não era mais necessário cooptar com esse código doa homens que havia o seguido por toda a sua vida. E principalmente depois de sua ida a Meca, quando ele vê a unidade que sua religião propiciava, e a hospitalidade com a qual as pessoas o tratavam, essa visão se quebra ainda mais.

Agora, puxando um pouquinho aqui para a nossa realidade. Quando a gente começa a mergulhar de cabeça no mundo dos homens, no inicio da nossa transição, é fácil a gente cair no conto desse código dos homens. Nós queremos tanto nos encaixar no modelo masculino que vemos ao nosso redor, que acabamos pegando os ônus desse tipo de atitude sem parar para pensar nas consequenciais disso.
Nós, sendo trans, trabalhamos muito com nós mesmos, com nossa autoimagem. E por causa da disforia, a depressão e a ansiedade estão quase sempre por ai, rondando nossas vidas. Esse código em que não falamos sobre nossos sentimentos com nossos amigos, família, ou mais ninguém, em que não podemos demonstrar emoções e temos que resolver nossos impasses com violência (física, mas as vezes também psicológica) faz seu efeito em nós, nos calando. Nos impedindo de sermos nós mesmos, de sentirmos. De encontrarmos nossa própria visão de masculinidade.
Eu me lembro claramente que no inicio da minha transição, eu me forçava a não cruzar as minhas pernas por que era "coisa de mulher" (escrevo isso agora com as pernas cruzadas. Desculpa Guilherme do passado, mas é muito mais confortável), e com meu próprio pai, aprendi que psicologos eram coisa de gente louca, e que homem não chora nem fala sobre seus problemas e medos.
Eu segui assim por alguns anos, até que percebi a mesma coisa que Malcom percebeu. Não é necessário respeitar código algum, além daquele que te diz o que te faz feliz. Essa é a minha própria masculinidade. Esse é meu próprio jeito de experimentar meu próprio gênero.
Eu acho que muitas pessoas acharam que eu ia chegar aqui, fazendo manuais de como fazer isso ou aquilo (por mais que eu já tenha feito num aspecto mais pratico), ou falando como a masculinidade do Malcom tava certa ou errada por causa disso ou daquilo.
Eu acredito que existam várias masculinidades, vários jeitos de experimentar o que é a vivencia masculina, e que cada um de nós deve achar seu próprio caminho. Pegando para nossa própria construção as experiências boas, as pessoas que agregaram valor a nossa vida, as situações que nos fizeram nos sentir mais perto de nós mesmos, de quem realmente somos, sem se importar com código algum.
----------------------------------------------------------
Bom, vou sortear aqui o livro da semana que vem (ou da outra, eu vou parar de colocar datas). E o livro é...
The Strenuous Life, Essays and Adresses
O que aconteceu com a minha roda, eu não sei. Mas taí o próximo livro. Vou deixar aqui os links para download:
amazon (pago em inglês)
Eu perdi a fonte do livro de graça em inglês... Se alguém se interessar em ler, me manda uma mensagem que eu arrumo um jeito de te passar o meu arquivo.

EDIT: Gramática.
submitted by MarshKun to transbr [link] [comments]

Microsoft Edge - Ler PDF em voz alta. - YouTube Tutorial Php Lendo arquivos XML Como converter arquivos PDF para ler no Kindle, Kobo e Lev ... Carregando arquivos csv no R Studio - YouTube Ler arquivo json no NODEJS de forma muito fácil. - YouTube

fgetc() - Como ler caracteres de um arquivo. Assim como é possível escrever de maneira formatada através das funções printf e fprintf, também podemos ler de maneira formatada, como é possível na scanf, através do uso da função fscanf. Neste código usamos uma instância da classe XmlTextReader para ler o arquivo XML Produtos.xml na raiz do projeto.A leitura do arquivo é feita usando o método Read.. A seguir verificamos o tipo de Nó existente no arquivo e obtemos o valor do respectivo nó usando a propriedade Name e Value.. Estamos exibindo o resultado em um ListBox e em um TextBox.(No TextBox usamos a propriedade ... Este artigo demonstra como usar a classe XMLTextReader para ler um arquivo XML.A classe XMLTextReader é uma classe abstrata que fornece o acesso rápido a arquivos XML.. Nota: Basicamente podemos ler um arquivo XML usando XmlTextReader, XmlDocument e Xpath; Se pensarmos que um arquivo XML é um arquivo que pode variar muito de conteúdo, do mais simples ao mais complexo, vamos concluir que ... Definido o arquivo de texto externo, foi implementado um processo de repetição (while) para ler todas as linhas do arquivo para exibi-las no fluxo padrão de saída System.out; O tratamento de exceções foi implementado usando um bloco try catch com a classe IOException , responsável pelas exceções em operações de entrada e saída. O nó envia os dados para os analisadores que suportam essa função, de maneira idêntica ao nó FileInput. As propriedades principais do nó especificam o arquivo e o diretório do qual ler o arquivo. O nome do arquivo é fornecido como um padrão que pode incluir curingas.

[index] [7265] [1043] [4549] [6829] [897] [2308] [7882] [464] [6247] [2223]

Microsoft Edge - Ler PDF em voz alta. - YouTube

Veja neste vídeo como abrir e ler um arquivo PDF no seu sistema operacional Windows 10 mesmo sem ter programas leitores de PDF instalados no seu computador. ... Parte 25 de 54 do Curso "Python 101". Neste vídeo vemos como ler os dados de um arquivo tipo JSON para instanciar nossa classe de Entrevistas Como abrir e ler um arquivo xlsx ( Planilha do Excel) utilizando java ! Projeto com libs: https://drive.google.com/file/d/0By8Qmzm5IsbTNnJBaWRkTmZCNlE/edit?u... Neste vídeo eu mostro como ler arquivos json de forma muito fácil usando nodejs e javascript. Nosso canal no Telegram: https://t.me/webscraping_automacaonave... Este tutorial mostra como converter um arquivo ou ebook em formato PDF para o formato EPUB, MOBI, AZW3 ou outros formatos usando o Calibre. Você poderá usar ...

https://forex-portugal.forexbinaryoption.ru